You are here
Home > Albânia > Planejando uma viagem nos Bálcãs pelos países da antiga Iugoslávia e Albânia: Dicas, alertas e lugares para ver

Planejando uma viagem nos Bálcãs pelos países da antiga Iugoslávia e Albânia: Dicas, alertas e lugares para ver

Recentemente relatei uma viagem que fiz à Albânia e aos países da antiga Iugoslávia, uma das regiões mais bonitas e pouco visitadas da Europa. Descobri que, embora ainda poucos brasileiros visitem, há bastante interesse em conhecer melhor a região. Então vamos lá, aqui vão algumas observações gerais, dicas e alertas de quem passou por lá viajando de forma independente.

Primeiro, deixem-me apenas observar que, embora Romênia, Bulgária e Grécia também sejam parte dos Bálcãs, eu neste post me dedico especialmente aos países da ex-Iugoslávia na região (Sérvia, Bósnia, Croácia, Kosovo, Macedônia, e Montenegro) e à Albânia (que não era parte da Iugoslávia). Sobre aqueles três outros países vocês poderão ler clicando nos seus nomes, indo às suas próprias seções. (E isso é basicamente porque, embora façam parte dos Bálcãs e desta mesma área cultural, eles são países maiores, com uma logística própria, e que merecem atenção separada.) Por fim, a Eslovênia era também parte da antiga Iugoslávia, mas ela tecnicamente é muito mais Europa Central que Bálcãs, e tem uma dinâmica diferente por hoje estar integrada à Zona Schengen (de fronteiras abertas dentro da Europa), etc. Sobre ela vocês podem ler clicando no nome.

Mas não se preocupe: Albânia, Bósnia, Croácia, Kosovo, Macedônia, Montenegro e Sérvia têm bastante coisa.

  • O que mais gostou.  Dubrovnik, na Croácia. Usada como cenário para o seriado Game of Thrones, ela tem um aspecto medieval fabuloso e é cheia de vida. É uma cidade cara (sobretudo se você ficar dentro das muralhas, o que eu recomendo), mas é inesquecível. Uma das mais impressionantes cidades de toda a Europa.
  • Visita obrigatória. Sarajevo, capital da Bósnia. Sarajevo é visita obrigatória para entender a confluência de culturas nesta região (católica latina, eslava ortodoxa, e muçulmana de influência turca). Em Sarajevo você aprende como isso às vezes vira um barril de pólvora, mas também como são capazes de conviver em paz na diversidade. 
  • O que não gostou. De como algumas cidades costeiras da Croácia ficaram descaracterizadas pela indústria do turismo (ver aqui). E, com exceção de alguns quitutes saborosos, a comida daqui me atrai pouco (ver mais abaixo). 
  • Queria ter visto mas não viu. Os lagos e corredeiras de Plitvice, na Croácia. Banja Luka, na Bósnia. E o litoral da Albânia. Um dia. 
  • Comida(s) a experimentar. Você aqui tem uma mistura grande de culinárias, pois é uma confluência de culturas. Não deixe de provar burek [burék], um pão recheado com espinafre, queijo, carne ou batatas, de origem turca; ajvar [ái-vár], um molho grosso feito com legumes, que você come com pão; e, especialmente, os pães folhados com recheio de cerejas, cujo nome varia mas que você encontra na vitrine de qualquer padaria. No entanto, já aviso que o que você vê mais é fast food (pizza, kebab…). Na Bósnia, Macedônia e Albânia, a influência turca é mais forte, e há uma comida mais variada, parecida um pouco com a nossa do Brasil (com arroz, feijão, saladas).
  • Momento mais memorável da visita. Encontrar-me na famosa Sarajevo e perceber o quanto o seu bem preservado centro histórico é bonito foi provavelmente o momento mais memorável. A Bósnia também me fez perceber o quanto ainda há de legado cultural turco na Europa, e que a gente no Brasil desconhece.
  • Alguma decepção. As pizzas, massas e sorvetes na Croácia, que procura espelhar-se na cultura italiana, foram uma decepção. Mas, de modo geral, como é uma região pouco conhecida e de que pouco se imagina ou espera, decepções foram raras. Surpresas foram mais comuns.
  • Maior surpresa. A beleza encantadora da cidade de Mostar, na Bósnia; as impressionantes paisagens de Montenegro, em Kotor; e a Albânia de modo geral, da qual eu nada sabia, e que se revelou um dos países mais lindos da Europa.

Principais dicas e alertas

Visto e fronteiras. Brasileiros não necessitam de visto para visitar estes países. Até poucos anos atrás, apenas a Sérvia ainda exigia visto, mas essa exigência já caiu.

Só observe com atenção a situação política entre a Sérvia e Kosovo, cuja independência a Sérvia não reconhece. Isso significa que, se você sair da Sérvia por Kosovo, as autoridades sérvias não carimbarão a sua saída, pois para eles, oficialmente, você ainda estará dentro da Sérvia. Isso pode lhe trazer problemas depois, então recomendo visitar Kosovo a partir da Albânia ou Macedônia. 

Desses países, só a Croácia pertence à União Europeia, e ela está fora da Zona Schengen de fronteiras abertas. Então é preciso fazer imigração e ter o passaporte carimbado todas as vezes. Costuma ser rápido, com exceção da fronteira com a Croácia, que tornou-se mais rígida desde que acedeu à UE. Essa, de carro ou de ônibus, pode às vezes levar horas para atravessar. Leve isso em conta.

Segurança. Embora esta região dos Bálcãs (e, sobretudo, a Albânia) tenha má fama na Europa por conta do crime organizado, eu achei todos estes países muito seguros. São anos-luz mais seguros que o Brasil. Tenha um mínimo de atenção, mas, no mais, deixe os europeus com os receios deles e venha tranquilo.

Custos e dinheiro. Cada um destes países usa uma moeda diferente. Prepare-se para divertir-se com as conversões. Montenegro e Kosovo usam o euro por falta de moeda própria; no mais, prepare-se para familiarizar-se com os lek albaneses, os marcos bósnios, os dinares sérvios, os dinares macedônios, e as kuna croatas.

A ótima notícia é que, com exceção das áreas mais turísticas da Croácia (Dubrovnik, estou falando de você), esta é uma região muito barata. Se você ficar em albergues, dá pra passar com menos de 200 euros por semana. Camas custam o equivalente a 10 euros/noite ou menos. Fast food sai por 2-3 euros. Jantar por menos de 5 euros. E a maioria das atrações são baratas ou gratuitas.

Traga euros e vá trocando aos poucos. Não se preocupe em comprar nenhuma daquelas moedas antes de chegar. Só tome cuidado para não ir embora cheio de moeda do país anterior na mão; mas, mesmo que faça isso, não é difícil trocá-las no país vizinho.

Lugares que você não pode deixar de ver. Entre parênteses, o que acredito ser um básico de noites para você curtir o lugar. 

Na Croácia, em ordem da minha preferência pessoal: Dubrovnik (3), Split (2), e Zagreb (2). Enquanto as duas primeiras são lindas e animadas cidades históricas da costa, Zagreb (a capital) tem um ambiente bastante diferente, mais centro-europeu, mas que precisa ser conhecido.

Na Bósnia: Sarajevo (3), a capital, e Mostar (1), uma linda cidadezinha com o centro histórico otomano ainda bem preservado. Se você for católico e gostar de peregrinações a lugares sagrados, vale a pena conferir Medjugore, onde dizem ter havido uma aparição de Maria. Fica perto de Mostar, e é fácil ir de ônibus (mais sobre logística mais abaixo)

Em Montenegro: Kotor (1), e talvez Budva. A capital Podgorica eu ainda não conheci pessoalmente, mas escuto de todo mundo que não há nada de especial.

Na Albânia: A capital Tirana (2) é simpática, com interessantes museus de sua história contemporânea. A cidadezinha de Berat (1) é visita obrigatória, e Gjirokaster (1) também é atraente. Se o tempo estiver bom, você pode querer conferir as cidades costeiras também. O litoral albanês é localmente famoso e muito bonito, recortado por rochedos e com águas azuis e verdes. Sarandë (às vezes escrito Saranda) é a principal cidade da costa.

Na Macedônia: A capital Skopje (1) é curiosa, por todas as referências a Alexandre o Grande e à Madre Teresa de Calcutá, que nasceu aqui, além de ter um centro histórico turco-otomano bem autêntico. Mas é tudo muito breve. Ohrid (1), cidade na costa de um lago que leva o mesmo nome, é a real jóia do país e que você não deve deixar de ver.

A Sérvia me parece pouco esplendorosa, se comparada a alguns desses outros países acima, mas a capital Belgrado (2) merece a sua atenção, se você gostar de conhecer igrejas ortodoxas e fortes históricos. Novi Sad (1, ou 0, se você optar por agregar +1 noite a Belgrado e fazer um bate-e-volta a partir de lá), cidade menor e mais elegante, definitivamente merece a sua visita. 

Kosovo, por fim, é o primo pobre desta região. A capital, Pristina (1), tem algo em termos de legado colonial turco-otomano, e há referências curiosas aos norte-americanos que ajudaram Kosovo a se tornar independente da Sérvia, tais como uma estátua de Bill Clinton e uma rua com o nome de George Bush. Mas  advirto que é uma cidade com poucos atrativos. Prizren (1) é a cidade mais turística de Kosovo, com seu centro histórico colonial turco, mas é também uma cidade bem modesta.

Roteiros de viagem, Logística e Transporte. Como você já deve suspeitar, fazer todos esses países da região numa viagem só é algo bastante ambicioso, e requer tempo. Se você tiver menos de 1 mês, vai ter que fazer escolhas (ou correr, o que nem sempre é legal).

Mapa dos Bálcãs, sudeste da Europa, uma de suas áreas mais autênticas e fascinantes.

Roteiros dependerão essencialmente do que você prefere ver e de quanto tempo dispõe. Os relatos de cada lugar estão cheios de detalhes.

Veja o mapa ao lado. Aquele miolo sul (Albânia, Kosovo, Macedônia, e até certo ponto Montenegro) é facílimo de fazer de ônibus, pois as distâncias são relativamente curtas, e as fronteiras são ligeiras de atravessar. 

Já o norte da Croácia (Zagreb & cia) é muito mais fácil de visitar junto com Eslovênia, Áustria e Hungria. O mesmo vale para Belgrado e Novi Sad, na Sérvia.

Eu sei que é tentador querer descer toda a costa da Croácia até Dubrovnik, mas isso é algo que consome bastante tempo. Tanto Split quanto Dubrovnik tem bons aeroportos, bem conectados, e é mais fácil chegar lá voando. Da mesma forma, é mais fácil ir de Dubrovnik a Sarajevo voando que por terra. (E lembre que praticamente todos os aeroportos são servidos por transporte público até a cidade, então não perca dinheiro com táxi.)

Com raras exceções, a malha ferroviária nesta parte da Europa é pífia. Trens inexistem ou são de muito baixa qualidade (lentos, poucos horários, gente fumando dentro, quebra no caminho, etc. Experimentei tudo isso em primeira mão.) 

Você depende essencialmente de ônibus ou vans, que fazem esses trajetos com frequência. Na Croácia, na alta estação, recomendo comprar sua passagem ao menos um dia antes. Já nos demais lugares, basta chegar e pedir uma passagem para o próximo. Repare que, se você quiser ida-e-volta, sai mais barato. A volta em geral é aberta (usável em até 30 dias), e na rodoviária do destino você paga somente a taxa de embarque e troca aquele bilhete de retorno por uma passagem propriamente dita, pra um ônibus específico. 

Detalhe 1: Nesta região da Europa as pessoas fumam muito. E as regras de não fumar em ambientes internos nem sempre existem ou são implementadas. Não se surpreenda se o motorista da van começar a fumar.

Detalhe 2: Muitos turistas ficam “presos” em Ohrid, na Macedônia, tentando atravessar à Albânia a partir daqui. Acabam largados em alguma beira de estrada na expectativa por um outro ônibus que os levaria dali adiante, e que não aparece. Parece tentador no mapa (pertinho, pertinho), mas na real é muito mais simples retornar a Skopje e tomar um transporte a partir de lá.


Se você ficou com alguma dúvida, quer algum toque, ou tem alguma pergunta que eu não respondi, é só pôr abaixo nos comentários.

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

32 thoughts on “Planejando uma viagem nos Bálcãs pelos países da antiga Iugoslávia e Albânia: Dicas, alertas e lugares para ver

  1. Mairon:
    Amei seu post muito bem escrito e detalhado.
    Eu já conheco a Croácia, Bosnia, Eslovenia e Montenegro.
    Minha vontade agora é conhecer Albania, Macedonia, Bulgaria, Romenia, Moldavia, Sérvia e Kosovo. Sendo conhecedor da região a sequencia que você me sugere?

    1. Oi, Maria Lucia! Primeiro de tudo, obrigado! Fico contente que você esteja gostando dos meus posts.

      Você também parece já ter esticado as pernas por lugares bem interessantes! Sobre a sua pergunta: há dois roteiros aí possíveis. Bulgária e Romênia são comparativamente grandes, mas podem ser feitas juntas se houver tempo. O mesmo vale para Albânia, Macedônia, Sérvia e Kosovo. Claro que a preferência depende um pouco do tipo de coisas que você gosta (e eu recomendo você conferir os posts desses países pra saber um pouco melhor o que esperar), mas para lhe dar uma orientação geral, eu acho desses aí a Romênia (particularmente a região da Transilvânia) e a Albânia os destinos mais interessantes.

      Kosovo tem pouca coisa; é o primo pobre desses da lista.
      Moldávia requer visto, se você não tiver um passaporte europeu. Eu ainda não a conheço, mas nunca ouvi relatos de que fosse estonteante.
      Bulgária e Sérvia são interessantes, mas eu acho que só passam à frente se você tiver um gosto especial por visitar igrejas ortodoxas — são o que mais você terá pra ver, especialmente nas capitais (Sófia e Belgrado), além de algumas fortalezas bonitas.

      Eu recomendo mais a Albânia e a Romênia por causa das lindas cidadezinhas que ambas têm — eu acho que não tem como não gostar.

      Em suma? Se for entre março-outubro, vá primeiro à Albânia, conheça suas muitas cidadezinhas, seu lindo litoral, e aproveite para esticar à Macedônia para conhecer Ohrid e Skopje. Se der tempo, insira uma breve passagem por Kosovo. As cidades mais interessantes da Sérvia estão um tanto longe, no norte, e é mais fácil visitá-las numa viagem com a Hungria, por exemplo.

      Já em qualquer época do ano, as cidades romenas da Transilvânia (Sighisoara, Brasov, Sibiu, Cluj) valem a pena. Bucareste menos, mas tem o que ver. Você pode combinar com uma passagem por Sófia e outras cidades da Bulgária, mas eu alocaria a maior parte do tempo na Transilvânia. Seja verão, seja inverno, ela é muito bonita.

      Espero poder ter ajudado. Qualquer dúvida que tenha ficado, ou se quiser continuar a conversa, esteja à vontade.

  2. Olá Mairon,
    Adorei seus posts e gostaria de sua ajuda.Eu e meu marido iremos para Bulgária e Romênia no dia 24/12( dia da chegada) e voltaremos no dia 9/1. Gostaríamos de conhecer algum outro país por perto. O que você nos sugere? Qual melhor roteiro e tempo em cada lugar? Gostamos de cidades pequenas e pitorescas pelo caminho!
    Obrigada,
    Betina

    1. Oi Betina! Primeiro de tudo, fico contente que esteja gostando dos meus posts!
      Retornei a você pela página do site no Facebook, como se tratam de inputs para a sua viagem em particular. Sempre disposto a ajudar.
      Qualquer coisa, estamos aí.
      Um abraço,
      Mairon

  3. boa noite, muito bom seu texto e esclarecedor. Vou dia 11/11/17 para servia. Belgrado precisa dois dias inteiros ? Ou em um deles posso ir a Novi Sad em uma das tardes? Voce conheceu Dalvolja Varos, é possivel somente passar o dia no local e seguir viagem? E Skopje, precisa dois dias inteiros ou em um deles faço bate e volta? E por ultimo, posso locar um carro para otimizar o tempo, as fronteiras sao seguras ? Sei que nao usarei o carro nos centros das cidades, mas acho que facilita,,, Obrigada, aguardo seu retorno

    1. Olá Raquel, bem vinda! Obrigado pelos elogios!

      Vamos às suas questões. Não acho essencial passar dois dias inteiros em Belgrado. O que há de mais interessante a ver na cidade são: Kalemegdan (a fortaleza no parque às margens do Rio Danúbio), o calçadão principal com seus prédios e hotéis antigos, e as várias igrejas ortodoxas em diversas partes da cidade. É possível fazer tudo isso num único dia, embora seja um dia cheio.

      Novi Sad é uma cidade menor, de fato você pode conhecer o principal dela em 4-6h. Depende de se você vai querer atravessar o rio para subir na fortaleza de lá e ter a vista da cidade ou se vai ficar só no centrinho histórico. A maior limitação é que os horários de ônibus se concentram pela manhã e pelo fim da tarde. Ou seja, passar *a tarde* em Novi Sad, se você não estiver de carro, pode ser um difícil. (Trens na Sérvia eu não recomendo, porque são muito lentos e raros de horários.)

      Não fui a Dalvolja Varos ainda. Eu não aluguei carro, mas soube de brasileiros que o fizeram e falaram coisas boas a respeito. Não sei, no entanto, onde alugaram. Pode ser uma boa pedida. As fronteiras me pareceram simples (exceto entre Sérvia e Kosovo. Nesse caso, é bom fazer Sérvia-Macedônia-Kosovo nesta ordem).

      Se você NÃO alugar um carro, recomendo ir a Novi Sad logo no segundo dia de manhã, passar o tempo que quiser, e depois voltar a Belgrado de tardinha para completar o que não tiver visto no primeiro dia. Há ônibus já voltando para Belgrado por volta das 16h. Vale saber, no entanto, que as igrejas ortodoxas frequentemente fecham por volta das 18h, caso você esteja interessada em vê-las. E, como os dias na Europa já estarão curtos, provavelmente Kalemedgan será mais bonito de visitar mais cedo.

      Espero poder ter ajudado em algo. Qualquer outra pergunta, estamos aí

  4. Oi Mairon!
    Estou programando um roteiro para os países da ex-Iuguslávia e quando comecei a procurar encontrei seu blog. Gostei muito e gostaria de algumas informaçoes:
    1- como tenho 30 dias pretendo visitar as principais cidades. Estou pensando em sair do Porto de Bari na Italia e ja chegar em Montenegro. O que vc acha?
    2- Tem idéia de quantos euros levar para 30 dias?
    3- Você tem como me informar como entro em contato com o senhor que você alugou o quarto ?
    Aguardo sua resposta.
    Antecipadamente agradeço.
    Atenciosamente,
    Ligia Ferreira Leâo

    1. Oi Ligia! Bem vinda ao site! Contente que você tenha gostado.

      1. Acho muito boa a ideia de ir de navio de Bari a Montenegro. A costa de Montenegro é linda, especialmente a Baía de Kotor, e acho que você gostará muito.

      2. A questão dos custos depende muito do nível de conforto das suas acomodações. Se você for ficar em hostels simples, eu diria que 1200 euros para 30 dias são mais que o suficiente pra uma pessoa. Outros custos como alimentação são pequenos, mas nesses países há uma diferença grande entre, por exemplo, os restaurantes turísticos e os usados pelas próprias pessoas do lugar. Você janta bem pelo equivalente a 5 euros, mas restaurantes mais sofisticados aumentarão os seus custos. Aí vai depender da sua preferência.

      3. A qual localidade você se refere? Se você me disser a cidade, eu lhe digo onde fiquei.

      Qualquer outra dúvida, estou à disposição!
      Mairon

  5. Oi Mairon,
    Continuo acompanhando seu post!!!!
    Como estou montando o roteiro resolvi primeiramente fazer o seguinte:
    Sao Paulo—Roma e Roma —-Tirana
    Penso em ficar 2 noites em Tirana porque chegarei as 23h.
    Tirana—–Berat (não sei como fazer em relação ao transporte)
    Berat—-Ohrid (Macedônia).
    Ohrid—–Skopje
    Skopje—–Pristina
    Pristina—–Podgorica
    Podgorica—–kotor
    Kotor——Dubrovonik
    dubrovonik——mostar
    Mostar——saravejo
    Sarajevo——-Split
    Split——Lagos plitivice
    L. P——Zagreb
    Zagreb——-Budapeste
    Budapeste—–Roma!!!!!
    Depois retorno ao Brasil.
    Vc acha que é muito cansativo para 30 dias de viagem?
    A passagem para Roma e Tirana já estão compradas.
    Com exceção de Tirana não tenho definido qtos dias em cada lugar.
    Obrigada pela atenção!
    Ligia

    1. Oi Ligia,
      Sempre bem vinda!

      Esse seu roteiro está repleto de lugares lindos! Fazê-lo em 30 dias vai requerer um passo rápido, mas é possível. Se você estiver com energia, vai aproveitar bastante. Só há alguns trechos que podem ser um pouco complicados em termos de transporte.

      Eu acho 2 dias suficientes para Tirana. Você de lá acha fácil um transporte (vans ou ônibus) para Berat. Dê preferência ao horário da manhã. Depois do almoço às vezes tem bem poucos. Já de Berat eu não sei se você conseguirá ir direto de lá para Ohrid; aquele trecho é um pouco complicado, talvez você precise voltar a Tirana, ir de lá a Skopje, e daí então a Ohrid, passar 1 noite, e voltar a Skopje para passar mais uma noite e então seguir até Pristina. De Pristina a Podgorica eu também não sei se há transporte fácil; talvez seja preciso “quebrar” esse trecho pausando em Shkoder, na Albânia, que eu soube que é bem bonita!

      De Podgorica a Kotor e de Kotor a Dubrovnik é bem simples. Recomendo pelo menos umas 3 noites em Dubrovnik; a cidade é linda!

      Dubrovnik a Mostar e Mostar a Sarajevo são factíveis, mas você vai ver que consomem bastante tempo. São várias horas de ônibus, também porque o cruzar da fronteira entre Croácia e Bósnia pode ser lento. Certa vez me levou 2h só no engarrafamento cruzando a fronteira; então planeje um número de noites nessas cidades que leve em conta que, no dia em que estiver viajando, provavelmente vai sobrar pouco tempo pra visitar.

      Sarajevo – Split eu acho que você vai precisar rever, a menos que faça de avião. É uma distância grande, e não há ônibus diretos.

      Uma vez em Zagreb, seu trajeto pra Budapeste é simples. Eu recomendo também pelo menos umas 3 noites em Budapeste. É uma das minhas capitais europeias favoritas!

      De Budapeste a Roma, você também vai de avião? Se for de trem, é um bom pedaço de chão.

      Ficam aí alguns inputs para a preparação do seu roteiro; espero que possam ajudar! Estou à sua disposição se tiver mais dúvidas ou quaisquer perguntas.
      Mairon

    1. Oi Valdemir,
      É viável, sim. Em alguns aspectos vai ser até mais prático, pois nos países da antiga Iugoslávia as rotas de transporte público às vezes são ruins, infrequentes, e é difícil chegar com facilidade de A a B. O carro resolve isso. Só se certifique de ter tempo o bastante pra cobrir todos os países que deseja ver. E não se esqueça de visitar a Sérvia antes de Kosovo, pra não saírem riscando o seu passaporte.
      Um abraço, e qualquer dúvida estamos aí.

  6. Olá muito obrigada por todas as informações!.
    comecei agora mesmo a minha pesquisa; vc acha que seria um destino para crianças?? temos 2 filhos de 5 e 3 anos, e estamos a pensar nesta viagem, mas tenho um pouco essa dúvida

    1. Prazer, Marta. Respondendo à sua pergunta: eu não acredito que haja problemas em viajar por esses países com crianças, não. A única (pequena) dificuldade pode ser um pouco os transportes, pois nas vans às vezes os motoristas fumam, e pode ser também um pouquinho apertado. Mas, dito isso, vão muitas crianças dos próprios países nesses transporte. É só mesmo algo que ter em mente. No mais, as pessoas dessa região dos Bálcãs são muito amáveis, calorosas, e sinceramente eu não vi grandes riscos em termos de criminalidade.

  7. Olá, Mairon.
    Pretendo fazer uma viagem pelo leste europeu e tô um pouco perdida na logística pq gostaria de fazer os trajetos de ônibus ou trem, mas já li que o trem nessa região não é bom, tirando alguns lugares. Gostaria de fazer os seguintes países:
    A passagem mais barata que encontrei até agora, vou em junho, é Rio de Janeiro- Viena-Bucareste-Rio.
    Então, tava pensando em fazer o seguinte:
    Viena- Bratislava- Viena ( trem 1:10h)
    Viena- Lijublijana (vi que tem ônibus 5:10h)
    Lijublijana -Bósnia ( aí começa o problema pq não tô achando ônibus). Como já conheço Croácia, Praga, Budapeste. Não queria mais passar por esses lugares)
    Bósnia – Belgrado
    Belgrado- Bucareste.
    A partir da Esloênia em diante eu estou com problema pq não tenho encontrado dicas de como um de ir país para o outro.
    Será que poderia me ajudar??
    Obrigada!

    1. Oi Tina!
      Entendo seus problemas. De fato, aquele início da viagem é muito tranquilo, por países da União Europeia (UE) e com boa infraestrutura ferroviária. Nos países de fora da UE é que a coisa pega um pouco, mas vamos lá.

      De Ljubljana à Bósnia (Sarajevo, suponho?), eu francamente sugeriria que você buscasse um voo. Há voos muito baratos na Europa, e você estará a uma distância considerável para cobrir por terra (considerando-se a má qualidade das estradas na Bósnia). Por terra, você teria que “quebrar” esse trecho em umas três partes e parar em uns dois lugares no caminho. De Sarajevo a Belgrado também é um trecho longo; neste caso *há* ônibus diretos, mas são noturnos e levam um tempão. De Belgrado a Bucareste você também encontrará tanto trem quanto ônibus, mas talvez seja preciso trocar no caminho.

      Em nenhum desses três trechos acima você conseguirá comprar passagens antecipadas pela internet, acredito eu. Por outro lado, não acredito que vá ser difícil comprar essas passagens direto na estação rodoviária ou ferroviária das cidades (aquele que for melhor de preço/horário ou que você preferir).

      O único trecho complicado aí mesmo é Ljubljana – Sarajevo. Esse aí é realmente muito distante. Ou você voa (o que eu recomendo), ou toma um trem de Ljubljana a Zagreb, e daí a Banja Luka na Bósnia. Só será preciso ter paciência, pois os trens na Bósnia frequentemente quebram, os ônibus engarrafam, etc. 🙂

      Espero poder ter ajudado em algo. Qualquer coisa, estamos aí.

  8. Olá Bom dia Mairon, primeiramente parabéns pelo POST.
    Eu e minha esposa pensamos em fazer
    Istanbul – Sofia (ouvi dizer que o trem noturno é bom com camas)
    Sofia – Skopje (ônibus?)
    Skopje – Pristina (Ônibus?)
    Pristina – Sarajevo (Ônibus?)
    Sarajevo – Zagreb (Onibus?)

    Nossas passagens estão compradas na chegada por Istanbul no dia 17/02/2018 e na volta por Zagreb no dia 17/02/2018

    Você acha que esta bom o trajeto? Daria para incluir alguma cidade de Montenegro ou Albania no caminho?

    Poderia nos ajudar com as melhores formas de transporte?
    Obrigado,

    1. Oi Bruno! Obrigado!

      Vamos lá. Os trens da Turquia são geralmente considerados antigos, hoje em dia a maioria dos turcos prefere ônibus (modernos, com lanches inclusos, etc.), mas talvez mesmo esse pra Sofia seja bom. Eu não conheço, mas a distância me parece ideal pra um noturno mesmo.

      De Sofia a Skopje de ônibus deve ser super tranquilo (menos de 5h de viagem, com belas vistas pelo que ouço dizer); e de Skopje a Pristina eu já fiz em ônibus e é super simples, menos de 2h com uma parada rápida na fronteira.

      De Pristina em diante é que as distâncias aumentam. De Pristina a Sarajevo leva 15h de ônibus, e nem sempre há passagens diretas (os horários e rotas variam muito nos Bálcãs, sem aviso prévio, então seria preciso ver lá na hora, mas esse é um trecho um pouco comprido, talvez seja necessário pernoitar e trocar em alguma cidade no caminho).

      Eu não sei ao certo a sua data de volta (você acabou repetindo a data de chegada), mas talvez valesse a pena, sim, vocês irem de Pristina até a Albânia: Tirana, e depois Shkoder, que tem fama de bonita. Daí de Shkoder, vocês facilmente entram em Montenegro, e de Podgorica (a capital) há ônibus diretos para Sarajevo. Podgorica em si não é particularmente bonita, talvez uma noite lá seja o bastante, assim como em Shkoder, mas em Tirana eu recomendaria ficar duas noites, pois há o que ver. (Meus posts sobre Tirana aqui e aqui.)

      Daí, de Sarajevo a Zagreb também há bastante chão, e talvez valha a pena pausar a viagem para conhecer Banja Luka, no caminho. Ela fica no caminho e é a principal cidade da Republica Srpska, a entidade semi-autônoma dentro da Bósnia. Não a conheço ainda, mas ouvi muitas coisas boas de amigos. Pelo menos uma noite, eu ficaria. Daí vocês chegam finalmente a Zagreb.

      Em resumo: sobre transportes, é basicamente tudo de ônibus mesmo. A exceção talvez seja apenas esse trecho Istambul-Sofia, que você verificou e parece ser bom de trem. No mais, os trens nos Bálcãs são lentos, velhos, e com muito poucas linhas e horários — pode jogá-los pra escanteio. No mais, em termos de tempo de estadia, Istambul e Sarajevo são aí (a meu ver) de longe as cidades mais interessantes. Eu ficaria no mínimo 3 noites em cada uma delas. As outras são menores e tem menos atrativos.

      Se tiver mais alguma dúvida, ou quiser checar algo com a sua disponibilidade de dias, estamos aí!
      Abraços

  9. Bom dia Mairon, muito obrigado pela rapida resposta.
    Vou seguir seus conselhos e vou alterar os trechos.
    Vamos fazer:
    – Istanbul (17 a 19 de fevereiro)
    – Sofia (20 a 21 de fev)
    Sofia – Scopia (onibus) (21 a 22)
    Scopia – Prizren (onibus) (22 a 23)
    Prizren – Skhoder (carro ou onibus?) (23 a 24)
    Skhoder – kotor (carro) (24 a 25)
    kotor – dubronivik (carro) (25 a 26)
    dubronivik – Zagreb (aviao) (26 a 27)

    Como nao temos muito tempo (o voo de volta eh dia 27 em zagreb, desculpa eu havia colocado errado), gostaria de encurtar o trajeto e possivelmente alugar um carro la (sei que deve ter uma taxa de retorno para pegar e devolver em cidades diferentes).
    E depois no ultimo trecho iria de aviao para nao perder tempo.

    O que voce acha? eh tranquilo alugar carro por la e conseguir dirigir nas estradas?
    Obrigado pela cordial ajuda
    Abracos,

    1. Tranquilo, Bruno. Seu roteiro agora parece mais fácil pra 10 dias. Alugar carro, embora eu próprio não o tenha feito, ouvi de pessoas que o fizeram e acharam tudo muito tranquilo. As estradas de Prizren para a Albânia são bem boas; você só vai precisar investigar as locadoras possíveis pra devolver o carro adiante.

      Se acabar optando pelo ônibus, eu só não sei se você obterá um direto de Prizren pra Shkoder. Pode ser que você primeiro precisará ir a Tirana e trocar lá. (Se fizer isso, comecem a viagem cedo, pois as partidas de transporte na Albânia se concentram no período da manhã. De tarde a coisa começa a ficar escassa.)

      Kotor é um lugar muito bonitinho, até mais que Prizren, e Dubrovnik é linda e merece mesmo um mínimo de 2 noites. Acho que sua escolha de seguir a Zagreb de avião é acertada.

      (Caso você ainda esteja ponderando possibilidades, uma outra alternativa seria pegar um voo de Tirana a Dubrovnik. Nesse caso, em vez de passar por Shkoder e Kotor, você alongaria sua estadia em algumas das outras cidades, como a própria Dubrovnik. Só como uma opção.)

      1. Bom dia Mairon, mais uma vez obrigado pelas dicas. Baseando nas ajudas que voce me passou e olhando este nosso curto tempo, fiz um trajeto da seguinte forma abaixo.
        Desta forma nao preciso me preocupar em devolver o carro em local diferente e so precisaria de alugar na croacia para visitar as cidades ao lado de Dubrovnik.
        Porem nos ficariamos bem dependentes das empresas de onibus. Ja olhei todos os horarios e locais das estacoes no google maps e sempre buscando no site balkanviator.com

        Voce acha que ficou legal assim? Ai vou comecar a alugar os hoteis, pois ja viajo na sexta.

        Grande abraco e depois te envio fotos e conto nossas aventuras (espero que poucas surpresas desagradaveis rsrs)

        TRAJETO DE TREM
        19-FEB-2018 as 22:40 – INSTANBUL-SOFIA EXPRESS (TREM)
        20-FEB-2018 as 08:50 – CHEGADA EM SOFIA

        TRAJETO DE ONIBUS – BALKAN AVIATOR
        21-FEB-2018 as 09:30 – ONIBUS DE SOFIA PARA SKOPJE
        21-FEB-2018 as 14:10 – CHEGADA EM SKOPJE

        22-FEB-2018 as 16:00 – ONIBUS DE SKOPJE PARA PRIZREN
        22-FEB-2018 as 19:15 – CHEGADA EM SPRIZREN

        23-FEB-2018 as 15:00 – ONIBUS DE SPRIZREN PARA DUBROVNIK
        23-FEB-2018 as 20:10 – CHEGADA EM DUBROVNIK

        24-FEB-2018 – VISITAR DUBROVNIK
        25-FEB-2018 – VISITAR DUBROVNIK

        TRAJETO DE CARRO – ALUGAR NA http://WWW.EUROPCAR.COM
        26-FEB-2018 – IR DE CARRO PARA KOTOR E SHKODER E VOLTAR NO MESMO DIA

        TRAJETO DE AVIAO – CROATIA AIRLINES
        27-FEB-2018 as 06:40 – VOO DE DUBROVNIK PARA ZAGREB
        27-FEB-2018 as 07:35 – CHEGADA EM ZAGREB

        27-FEB-2018 as 16:30 – VOO DE VOLTA ZAGREB-DOHA-SHANGHAI

      2. Oi Bruno!
        Acho que ficou legal assim! Está veloz, mas é o que é possível dentro deste tempo. Acho que é factível; vocês só vão precisar ter energia pra visitar as cidades já logo após chegarem das viagens :). Confira meus posts sobre Sofia, Skopje, Prizren e Istambul, que tem algumas observações sobre alguns dos pontos principais das cidades. No caso de Sofia, eu veria a possibilidade de já garantir as passagens de ônibus no dia anterior à viagem, quando vocês estiverem passeando pela cidade. Já o trecho de Skopje a Prizren é normalmente bem tranquilo. Em Zagreb, se vocês conseguirem deixar a bagagem no aeroporto e ir dar um passeio de algumas horas no centro da cidade, pode valer a pena.

        No mais, eu só faria duas observações adicionais. Uma é que a Balkan Viator é só o site; na real, você encontrará várias empresas diferentes fazendo esses percursos. Às vezes há um guichê geral pra todas, às vezes cada empresa tem seu guichê. Só mesmo pra vc já ficar sabendo. A outra é que conseguir fazer Kotor e Shkoder no mesmo dia pode ser ambicioso demais. Há uma fronteira com controle de imigração entre Dubrovnik (Croácia) e Kotor (Montenegro); eu certa vez fiquei 2h lá esperando, no tráfego. Acho que ir a Kotor e voltar está de bom tamanho, mas hora vc vê o que é possível.

        De quebra, dica extra, “amanhã” soa algo parecido com “zavtra” nas línguas eslavas. Você vai precisar se quiser comprar passagens de ônibus para o dia seguinte nas rodoviárias lá, onde eles nem sempre falam inglês ;-). Boa aventura, e quando chegar conta como foi!

  10. Bom dia Mairon, tudo certo agora, hoteis reservados para as datas do planejamento acima. Pois eh, tentaremos ter pique para aproveitar tudo. Blz, seus posts ja estao quase decorados de tanto que eu li, e estou levando a colinha com o pdf salvo no celular hehe.

    Blz em relacao a sofia vou tentar comprar o proximo trecho assim que chegarmos na estacao, pois a rodoviaria eh perto.

    Obrigado pelo esclarecimento da Balkan Viator, e espero que ao menos os horarios tenham as passagens, mas vou tentar sempre ja comprar no mesmo dia que eu chegar para garantir a do dia seguinte.

    Em relacao a Kotor, se nao der tempo de Shkoder, ai fazemos Kotor somente (estou levando o drone para tentar umas fotos legais daquela bay)

    Sobre Zagreb pode ser uma boa mesmo, vou ver se conseguimos deixar as malas no aeroporto. E obrigado pelo “zavtra” hehe. E vou baixar o app de traducao rsrs

    Quando voltarmos te conto sim como foi, e enviamos fotos.

    MUITO OBRIGADO novamente, foi extremamente cordial e nos ajudou muito!!!! Montamos o roteiro baseado nas suas dicas.

    Abracao !!

      1. Bom dia Mairon,
        Recem chegamos de volta.
        A viagem foi maravilhosa!!!
        Alguns pontos que destaco sobre o trajeto:
        O trem de Istanbul para Sofia e otimo e fomos dormindo em uma especie de quarto, com uma beliche e muito confortavel. Ganhamos um dia, pois o trem eh noturno e a viagem permite descansar bastante.

        E Dubrovinik eh incrivel, mas nao deu tempo de irmos no bate e volta para Qotor, senao iriamos aproveitar pouco..

        Mas do restante foi tudo otimo!

        Obrigaodo mais uma vez. Eu te adicionei no Instagram e quando for colocar as fotos do Drone vou te marcar. Abracos

      2. Que coisa boa, Bruno! Marque mesmo!
        Bom descanso pós-viagem saboreando as memórias (e organizando fotos), e boa inspiração para as próximas!
        Abraços

  11. Boa tarde Mario ! Estamos pensando em fazer uma viagem da seguinte forma:
    Saída Brasil com destono Milão 26/05/18
    Milão > Verona
    Verona > Eslovénia 5 dias
    Eslovénia > Croacia 10 dias
    Croacia > Monte egro 3 dias
    Montenegro > Albania 3 dias
    Albania > Ilhas Jonicas 15 dias
    Partas > Veneza de ferry
    Veneza > Milão
    Todo o percurso de carro. Mas estamos tendo dificuldade de alugar um carro que não tenha restrições para Albania , Montenegro e Grécia, embora em todos estes países tem as mesmas locadoras (estou me referindo a Hertz) .. ou seja, a locadora restringe o acesso a esses países, mas a mesma locadora que restringe, tem escritório para locação nestes países . Gostaria de entender melhor este problema é saber se vc conhece alguma locadora que me possibilite alugar um carro que eu possa fazer esse percurso. Mesmo que seja com um seguro diferenciado ou com alguns entraves burocráticos .
    Obrigada
    Rita

    1. Olá, Rita! Você parece ter um percurso maravilhoso pela frente!

      Eu jamais aluguei carro para viajar por esses países, então a minha experiência nesse quesito é limitada. O que posso dizer é que sei de pessoas que já viajaram por esses países com carro, e uma recomendação é utilizar a locadora Oryx (https://www.oryx-rent.hr/en/), que — segundo minhas informações — permite levá-lo Albânia adentro e por todos os países da ex-Iugoslávia. Entretanto, é uma locadora croata. O que talvez você precise fazer é fazer sua jornada com carros diferentes (ex. um da Itália à Croácia, outro da Croácia à Albânia, e quiçá um terceiro da Albânia à Grécia). É uma possibilidade, já que há muitos países envolvidos.

      Sucesso!
      Mairon

  12. Oi Mairon!
    Agradeço por todas as dicas, elas, de longe, foram as mais completas que encontrei enquanto montava meu roteiro.

    A princípio, planejei ir de Tirana, Albânia, até Ohrid, justamente por serem muito perto, e não compreendi direito o “detalhe número 2”, a respeito de as pessoas serem largadas na estradas.

    De Ohrid, pretendo ir para Skopje e terminar minha viagem em Sófia, fazendo desse caminho o mais lógico pra mim.

    1. Oi Helena!

      Fico contente que você tenha gostado das dicas e que elas estejam lhe sendo úteis. Eu talvez possa esclarecer melhor o “detalhe 2”. O que ocorre é que, embora Tirana e Ohrid não sejam muito distantes, as rotas são ruins. Eu não encontrei nenhum transporte direto entre uma e outra. Quando você procurar lá, o mais provável é lhe dizerem algo do tipo: “Direto pra Ohrid não tem. Você precisa ir primeiro pro lugar X e lá trocar de van. Você pede ao motorista para deixar você lá, e lá você toma uma van rumo ao lugar Y, que passa em Ohrid“.

      Você aí já imagina. Há muita desinformação entre os próprios albaneses e macedônios sobre as rotas disponíveis (eu experimentei isso em primeira mão), e a coisa mais fácil do mundo é a pessoa que te informou estar equivocada e, na real, não haver (mais) aquela segunda van. Aí você acaba no meio do caminho, às vezes literalmente na beira da estrada, sem ter ou saber como prosseguir.

      Por isso que a minha recomendação é que talvez seja melhor fazer Tirana => Skopje, e de Skopje há saídas várias vezes ao dia para Ohrid, sem mistério, sem dificuldade, (e sem troca de van). Eu sei que no mapa pode não parecer o mais lógico, mas na prática pode ser o mais simples e menos arriscado. Daí você pode retornar a Skopje e seguir para Sofia como planejou. Mas esta é apenas uma sugestão.

      Dito isso, se não houver tempo ou você estiver mesmo determinada a tentar o caminho para Ohrid sem antes ir a Skopje, normalmente o lugar da troca de ônibus/vans é a cidade de Struga, de onde há táxis ou ônibus locais que — segundo dizem — podem levá-la de lá para Ohrid. Mas, como você vê, é uma coisa meio no “veremos”. Vale a recomendação constante nesses países de viajar pela manhã, pois as frequências de transporte caem muito após o meio-dia.

      Aí fica a seu critério. Se você tiver qualquer outra dúvida, é só dizer 🙂

  13. Ola! Gostei muito das informações! Ajudaram muito.
    Mas tenho uma duvida: vamos fazer Albania – Montenegro – Bósnia e Herzegovina. Da pra fazer tudo de ônibus com tranquilidade?
    Obrigada!

    1. Oi Bruna, bem vinda ao site!

      Dá sim! A “tranquilidade”, porém, é relativa :-). Alguns trechos são um pouco “puxados”, longos ou podem exigir muitas conexões. Então a minha sugestão é que vocês não ambicionem cobrir distâncias muito grandes num só dia, pois podem acabar — no dia — se dando conta de que não há rotas diretas, ou que o ônibus atrasou, etc. Quase nunca dá pra comprar passagens online nesses países.

      Mas, se vocês forem com certa flexibilidade, ou não precisarem cobrir distâncias muito grandes num só dia, dá sim pra navegar tudo ali de ônibus sem problemas.

      Qualquer outra dúvida, fique à vontade!

Deixe uma resposta

Top