You are here
Home > China > Fazendo voo de conexão na China continental sem visto de trânsito: A experiência

Fazendo voo de conexão na China continental sem visto de trânsito: A experiência

Brasileiros podem ficar até 72h em trânsito na China continental sem visto. “China continental” (mainland China), pra quem estiver perdido, é o nome normalmente usado para referir-se à China propriamente dita, fora das regiões administrativas especiais de Hong Kong ou Macau, que gozam de certa autonomia e fronteiras próprias (pra não falar em Taiwan, que é soberana). Brasileiros podem visitar Hong Kong e Macau por até 90 dias sem visto. Já a China continental, não. Apenas por 72h, que foi o que eu fiz, meio sem querer.

Meu voo de Hong Kong a Seul, na Coreia do Sul, foi pela Xiamen Airlines, com uma devida conexão na cidade chinesa de Xiamen. Até aí tudo bem. Dois voos pela mesma empresa.

Qual foi a minha deliciosa surpresa quando, no aeroporto de Hong Kong, o funcionário da cia aérea me disse que não conseguia fazer o meu check-in até o destino final. Que eu teria que pegar a bagagem e fazer novo check-in para o voo de conexão em Xiamen. Oi?

— “Você está querendo dizer que eu vou precisar fazer imigração na China, coletar a minha bagagem, e re-despachar lá num novo check-in?“, perguntei eu quase incrédulo.

— “É“, respondeu o rapaz com ar de funcionário molóide, apertando os olhos para a tela do computador enquanto falava comigo, como quem estivesse permanentemente a buscar algo. Não encontrou.

(Aí eles começam com aquilo de “Por alguma razão eu não estou conseguindo fazer seu check-in até o destino final“, e sobe a vontade de estapear o sujeito. Dica: Não seja grosseiro, mas seja firme. Já me ocorreu isso outras vezes, eu insisti que não teria condições de pegar o voo de conexão se tivesse que fazer imigração e redespachar bagagem, e de repente o funcionário encontrou um jeito, ou chamou alguém que sabia como resolver. Então, não dê mole.)

Nesta daqui, contudo, eu sambei.

Fui conhecer a China. No voo da Xiamen Airlines, havia quase que exclusivamente chineses. Eu sempre costumei brincar dizendo que o pior inglês de anúncios de bordo que eu já ouvi na vida é o dos voos brasileiros. Neste dia eu precisei retificar isso: o dos chineses é pior. Não entendi quase que absolutamente nada. Por sorte, eu voo bastante e tenho já as instruções de segurança quase decoradas na cabeça.

Serviram-no um arroz frito com legumes a bordo e, dentro em pouco, chegamos a Xiamen.

Havia chegado a hora da verdade de fazer imigração de trânsito na China sem ter sequer o cartão de embarque do voo seguinte. Por sorte, eu tinha ao menos a reserva impressa. Entrei mecânico na fila da imigração. Uma oficial não menos mecânica atendia aos passageiros. Os chineses não conversam muito (isto é, conosco, porque entre eles, eles conversam pra caramba, embora não aqui).

Na minha hora, a oficial só abriu a boca para dizer “visa?” quando folheou o meu passaporte e não encontrei. Eu procurei ser objetivo: “Transit. Flight to Seoul, South Korea.” O inglês desses oficiais é bastante limitado, e eles em geral não curtem conversa, então corte as frases completas e vá direto ao ponto. 

— “Boarding pass?“, pergunta ela com aquele sotaque asiático. 

— “No boarding pass. Booking, here.“, retruquei eu à oficial chinesa, entregando-lhe a folha de papel com minha reserva em holandês. (Ô coragem.)

— “Wait there“, apontou-me ela para uma marca de dois pés desenhados no chão ao lado da fila. Fiquei exatamente em cima da marca. O segredo aqui é ser obediente. É parte da cultura. Não comece com aquele conversê de brasileiro. 

Lá se foi o meu passaporte, embora com ela. Vi-a passando-o a um superior, que olhou minha reserva, ponderou, e eu lá impassível. (Tenho amigos que piram quando lhes levam embora o passaporte. Aqui não haveria espaço pra isso.)

Voltou depois de uns 10 minutos, com o meu visto de trânsito de 72h escrito a caneta no passaporte. Precisei fazer também alfândega, onde abriram minha bagagem.  O policial pegou os meus livros, abriu a caixa de sabonetes Alma de Flores que eu levava, cheirou, perguntou onde eu comprei, e satisfez-se.

Eu, infelizmente, não tinha tempo para aproveitar minhas 72h. Da janela do avião, vi Xiamen com aqueles contêineres de carga no porto, o típico de cenário de filme B de artes marciais dos anos 80/90. Prédios velhos, precisando de uma mão de tinta, com escritos em chinês não faltavam. Mas eu tinha um voo a Seul para tomar em duas horas, e me limitei a ir à frente do aeroporto. 

Rapidamente, ainda dentro do aeroporto, me apareceram malucos chineses vendendo relógio. Aí depois subiu o nível: iPhones! Mostrados assim na surdina, por debaixo do casaco. Homens e mulheres, derretendo-se pro meu lado, risonhos, tais quais sedutores vendedores de camelô perguntando se eu não queria comprar. Ah, China!

Fiz meu novo check-in e despachei a bagagem novamente para uma viagem que teria sido muito mais simples se o cidadão em Hong Kong tivesse me posto direto com check-in e bagagem para o destino final. Tive de passar pela imigração novamente, e ter o meu visto fresquinho ridiculamente carimbado à saída, na entrada mais breve que já fiz num país.

Morais da história:

*Evitem fazer conexão na China propriamente dita (isto é, afora Hong Kong, Taiwan ou Macau). Você possivelmente terá que fazer imigração de trânsito, retirar a bagagem, e embarcar de novo como se tivesse acabado de chegar ao aeroporto.

*Apesar de toda a sua má fama, as autoridades chinesas no aeroporto foram a todo momento respeitosas, e alguns foram até risonhos comigo. Eles são reservados, mas se você for obediente e não quebrar o protocolo (ou seja, não dê piti), eles serão respeitosos com você. Eles podem ter aquele ar de indiferença, aquela distância neutra em relação a você, mas em nenhum momento senti aquele tratamento depreciativo que nós latino-americanos às vezes recebemos das autoridades de imigração nos Estados Unidos ou na Europa. Sim, minha experiência chinesa foi melhor que muitas que já tive em Portugal, na Holanda ou nos Estados Unidos. (Na Rússia eles são uns cavalos, então nem se fala.)

Consegui até que sorrissem, alguns! Sobretudo quanto eu lançava o meu astuto “chiê chiê” (“obrigado” em mandarim).

Vejo vocês na Coreia do Sul.

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

49 thoughts on “Fazendo voo de conexão na China continental sem visto de trânsito: A experiência

  1. Boa tarde
    Vou precisar tirar o visto de transito chinês,irei para Bangcoc 48 horas apos o desembarque gostaria de saber se tem um guinche especifico na imigração para este tipo de visto.

    Obrigado

    1. Não há não, Maikon. Você entra na fila com todo mundo e consegue seu visto de trânsito com qualquer um dos oficiais. Tente ter em mãos o cartão de embarque do voo seguinte (no mínimo, a reserva).

  2. Olá Mairon, tudo bem? Vc fez a conexão na China tanto na ida quanto na volta? Pergunto pois estarei viajando a Bangkok daqui uns dias e em ambos os trechos temos conexão em Pequim, por isso fiquei em dúvida se posso solicitar este visto 2 vezes!
    O consulado não me responde, infelizmente.

    Obrigada!

    1. Olá, Yandra! Bem vinda ao site! Eu fiz essa conexão só na ida. Até onde eu sei, no entanto, não há limite de vezes, você pode tirá-lo quantas vezes passar pela China, contanto que tenha conexão pra um voo seguinte saindo do país. Certifique-se de ter consigo o cartão de embarque do voo seguinte, saindo de Pequim, ou no mínimo a reserva impressa. Boa viagem!

    2. Yandra, estou indo para Bangkok e tb farei conexão em Pequim na ida e na volta, você conseguiu fazer tranquilamente o visto as duas vezes?? Estou com essa dpuvida. Se puder me ajudar agradeço!

      1. Oi, Paulo!
        Não precisa, não. Tente ver se consegue ter a sua bagagem despachada já até o seu destino final, Tóquio. Sobretudo se o seu tempo de conexão em Pequim não for longo. Normalmente, você simplesmente fica no saguão internacional e embarca no outro voo. Somente se o seu tempo de conexão em Pequim for mais longo (mas dentro de um limite de 72h) é que você faz imigração e obtém (no ato) um visto de trânsito de até 72h pra poder passear por Pequim antes do seu voo de seguimento até o Japão.
        Boa viagem! Mairon

  3. Boa tarde Mairon! Por favor, estou no Japão e estou querendo ir para Tailândia por uma semana, mas eu preciso fazer uma conexão em Shanghai . Você sabe me dizer se preciso de visto para essa conexão ? Abraço e tenha um excelente dia!

    1. Não precisa não, Reginaldo! Basta ter em mãos o cartão de embarque do voo seguinte, ex. Shanghai-Bangkok, e que seu tempo de conexão na China não exceda 72h. Se por alguma razão não conseguir obter no Japão esse cartão de embarque do segundo, tenha no mínimo do mínimo a confirmação impressa da sua reserva do voo. Boa viagem pra você! Qualquer dúvida, estamos aí.

      1. Muito obrigado Mairon! Obrigado por ter esclarecido a minha duvida, Tenha um ótimo final de semana.
        Abraço!

  4. Nossa. Agruras de viajante. Deus nos livre dessas experiencias. Ha necessidade de muito sangue frio. Haja Deus. Ainda bem que conseguiu, Que continue com essa boa sorte.
    Belo esse aeroporto de HK.

  5. Vou em uma viagem para as filipinas e na volta vou ter uma conexão em taiwan e nw tenho visto e nem tenho mais tempo para tirar alguem sabe me dizer oq acontece se chegar la sem o visto de trânsito?

  6. Estou indo pra nova zelandia e iriei fazer escala em pequim, para poder sair do aeroporto nessa Espera de 13 horas para ha nz, eu preciso preencher algum documento Antes? Ou simplesmente vou até o guiche como se fosse ficar no pais e então ganho o visto de trânsito me permitindo conhecer a cidade é voltar para o aeroporto?

    1. Segunda opção, Lucas!
      Basta chegar ao guichê de imigração como se fosse ficar no país, mas mostrando o seu cartão de embarque para o voo seguinte, e as autoridades chinesas carimbarão o visto de trânsito (válido por até 72h) no seu passaporte.
      Boas viagens!

    1. Oi Pedro, tudo vai depender do que a sua companhia aérea fizer. Se eles conseguirem emitir todos os cartões de embarque, incluso do seu voo seguinte, e despachar sua bagagem até o destino final, você não precisará fazer imigração. Contudo, o que aconteceu comigo foi que na hora H, no check-in no aeroporto, eles me informaram que não conseguiram produzir etiqueta de bagagem e cartão de embarque até o destino final. Neste caso, você TEM que fazer imigração para poder retirar a sua bagagem e fazer check-in para o voo seguinte. (Na China, nem sempre o check-in online é uma opção. No meu caso, ela não existia.)
      Sucesso!

  7. Olá, você sabe me dizer se esse visto é pago? Estou fazendo uma viagem para a Tailândia e farei uma conexão de 11 h em Xangai. O visto libera para sairmos na cidade ou apenas para ficar no aeroporto?
    Obrigada!!

    1. Oi Aline!
      Esse visto é gratuito, e você tem a liberdade de ir aonde quiser :-). Você efetivamente cruzará a imigração e daí terá plena liberdade, tendo só a obrigação de reaparecer no aeroporto para deixar a China dentro daquele prazo de tempo. (Só não se esqueça de verificar se suas bagagens irão automaticamente até o destino final ou se você precisa retirá-las e despachar novamente.)
      Boa viagem!

  8. Olá! Parabéns pelo site, Mairon. Conteúdo fantástico! Você usa algo específico para essas marcações no mapa, ou dá pra fazer isso só com google maps? já estou com dificuldades de lembrar de minhas viagens e gostaria de ir catalogando-as de forma parecida (de forma amadora e apenas para registro pessoal). Além disso, fiz uma emissão GRU-PEK-SIN. Vou chegar em Pequim de Swiss e seguirei de Singapore. Será que a Swiss consegue em SP já emitir até o destino final, mesmo mudando de companhia aérea? Obrigado, Jorge

    1. Obrigado, Jorge! E bem vindo!

      Quanto ao mapa, eu uso um aplicativo (baseado no Google Maps) chamado Nomad Map, que funciona para WordPress. Não sei se ele teria funcionalidade pra vc se não tiver um site. Pra uso pessoal, antes de ter um site, eu usava o mapa do TripAdvisor pra registrar os lugares por onde passei 🙂

      Quanto à sua conexão, eu diria que tem uma chance de 50% de a Swiss não conseguir emitir o segundo cartão de embarque e suas passagens até o destino final. Pode ser que consiga, mas esteja preparado pra o caso negativo. Neste caso, você terá uma experiência parecida à minha relatada aí. Certifique-se de ter consigo ao menos a reserva, como segurança, para ter algo para mostrar aos chineses caso precise fazer imigração.

      Outra possibilidade é você fazer online já o check-in da Singapore e ter consigo aquele cartão de embarque impresso. Nesse caso, contudo, fique atento pra as bagagens, se elas foram efetivamente etiquetadas até o destino final.

      Sucesso! E qualquer coisa, estamos às ordens.

    1. Olá Juliana!
      Sim, você precisa. E precisa ter consigo o comprovante internacional fornecido pela ANVISA no Brasil. Na chegada ao aeroporto em Bangkok, antes mesmo de passar pela imigração, todos os viajantes procedentes da África ou da América Latina precisam passar num balcão onde mostram o comprovante. Você verá as setas no aeroporto. Não demora mais que uns 5-20min, a depender da fila.

      Lembrando que eles exigem isso não porque estão preocupados com sua saúde, mas com medo que os viajantes levem a doença pra lá.

      Qualquer outra dica, estamos aí.

  9. Olá!
    Dia 20 de Julho estou indo da Australia para o Japão e faz conexão em Taiwan de 1:35 horas. Você saberia me dizer se quando eu chegar lá em Taiwan irei precisar passar pela imigração ou irei direto para área de embarque? Porque não tirei nenhum tipo de visto.
    Obrigado!

    1. Olá Michael,
      Taiwan é diferente. Pode ficar tranquilo que lá não há exigência qualquer de visto de trânsito. Basta ter em mãos o cartão de embarque do seu voo seguinte, de Taipei ao Japão. Esse tempo de 1:35h você ficará na área de embarque internacional.
      Sucesso!

    1. Bom dia, Bernardo. Não acho que o assento seja importante, pois pra isso às vezes é preciso primeiro fazer o check-in. O fundamental é ter, se não o cartão de embarque do voo de seguimento, ao menos a confirmação impressa da reserva do voo com seu nome, o horário e o próximo destino. Foi o que apresentei, e os chineses aceitaram numa boa, sem me fazer perguntas.

      1. Porque no site da china e nos melhores destinos fala-se que tem que ter o assento do vôo de saida marcado.

        Se eu comprar passagens separadas e a CIA area de saida não tiver checkin online, eu não conseguirei reservar o assento.

        E em alguns lugares fala-se de conexão, como comprarei passagens separadas não seria uma conexão. Então fiquei muito na dúvida, eu só teria o papel da compra da passagem de saída e não o ticket impresso pela CIA.

      2. Fiquei na dúvida porque no site do consulado e melhores destinos solicita-se que o assento esteja reservado.
        E outra dúvida se poderia entrar com um bilhete diferente de saida, isto é, compraria em separado Brasil x Pequim e Pequim x Tailandia

      3. Eu entendo. Pois eu lhe digo que passei por lá sem ter o assento reservado no voo seguinte, nem check-in ainda feito.

        No meu caso também foram bilhetes separados, que a agência online comprou combinados, daí não ter conseguido fazer meu check-in até o destino final. E isso não deu problema. Não importa se é conexão ou voos separados.

        A verdade é que brasileiros têm direito a um visto de trânsito de 72h em 18 aeroportos chineses, bastando para isso apresentar evidência de reserva num voo seguinte. “Assento marcado” é forma de dizer; se você tem uma reserva, certamente há um assento reservado para você no avião, você só não foi informado ainda de qual assento é.

    1. Sim. E nem em inglês estava; estava em holandês, e não teve problema. Eles só quiseram ver meu nome, a data do voo, e de onde pra onde.

  10. Mairon, achei um voo que vai até a Tailandia e faz conexao de 1:35 horas em Pequim. Você saberia me dizer se quando eu chegar lá irei precisar passar pela imigração e redespachar malas ou irei direto para área de embarque?
    Obrigado!

    1. Oi Paulo,
      Com apenas 1:35h de tempo de conexão, eu digo que a sua única opção viável será ir direto para a área de embarque. É o mais normal e esperando. Se na saída do primeiro voo o funcionário da cia aérea hesitar, faça-o entender que seu tempo curto de conexão não permite que você tenha que passar pela imigração e redespachar malas. (Às vezes, muitas vezes, a cia aérea é desleixada e, se você insistir, o funcionário de repente descobre que pode fazer seu check-in até o destino final. Isso já me ocorreu na Ásia. Eu insisti, e deu certo. Daí você já chega direto na área de embarque, tendo em mãos o cartão de embarque do voo de seguimento.)
      Às ordens!

    1. Oi Rosanny,
      Esse visto de trânsito é sempre obtido no ato, pessoalmente lá no aeroporto. Basta apresentar o cartão de embarque do voo seguinte. Ou, se não o tiver, precisa ter pelo menos a reserva com seu nome e mostrando qual o seu próximo voo e destino fora da China 🙂

  11. Boa tarde, primeiramente parabéns pelo site!, muito bacana! Estou indo a Tailandia em novembro e com conexão em Pequim de 11:30 pela airchina. Acredita que eu tenha que passar pela imigração? Vale a pena aproveitar esse tempo e fazer um passeio pela cidade ou o tempo é muito curto? Muito obrigado

    1. Boa tarde, Guilherme! Obrigado!
      Sobre sua conexão, acredito que — dada a duração longa — você muito provavelmente precisará passar pela imigração e re-embarcar, mas a decisão depende da cia aérea. É possível que eles façam seu check-in até o destino final e que você assim possa ficar no saguão internacional. Se isso ocorre, não o impede de sair pela imigração (obtendo um visto de trânsito no ato) e dar um bordejo na cidade com o tempo que tem. Só não sei até que ponto vale a pena; depende da hora do dia. Eu ainda não conheço Pequim, mas a julgar pelo tamanho enorme da cidade e as distâncias, imagino que daria apenas pra um “petisco”.
      Espero poder ter ajudado ao menos em relação à conexão.
      Boa viagem!

  12. Sou brasileira e estou indo viajar para Palau com uma conexão em Taiwan por 22h. Preciso de visto de trânsito para poder fazer o o tour de half day oferecido no próprio aeroporto Taiwan Taoyuan International Airport Tourist Service Center?

    1. Oi Thammy,
      Taiwan, como é autônoma, tem regras próprias de imigração, diferentes das da China continental. Como ainda não fui lá, não sei ao certo. Normalmente, há exigência de visto aos brasileiros, mas bom averiguar só esse visto de trânsito precisa ser solicitado antes ou pode ser tirado no ato. Às vezes tudo o que precisa é fazer uma solicitação online (ETA – Electronic Travel Authorization) e pimba.

  13. Ola Mairon!
    Parabéns pelo blog!
    Olha só, estou indo ficar 1 mês em Tóquio em dezembro e tenho escala em Xangai .
    São Paulo – Frankfurt – Xangai ( 20h de stop) irei ficar em um hotel e no outro dia voo para Tóquio, como só viajo no dia seguinte acredito que pego as malas em Xangai e despacho no outro dia quando pegar o voo para Tóquio ..
    Nesse caso só faço o visto trânsito no aeroporto correto?
    Não preciso fazer visto chinês no Brasil etc.
    Posso passear em Xangai sem problema algum nessas 20h, isso?
    Abraço e obrigado

    1. Oi Anderson! Obrigado!
      No melhor do meu entendimento, você está correto. É exatamente isso aí. Não precisa fazer nada antes referente à China: o visto de trânsito você obtém na hora, no aeroporto de Xangai, bastando para isso mostrar o cartão de embarque (ou a reserva) do voo de seguimento para o Japão. Dada a duração do seu tempo de conexão, também acho muito provável que você precise retirar as malas. (Mas ainda que enviem a sua bagagem direto até o destino final, você ainda assim tem permissão de fazer imigração, sair do aeroporto, e voltar no dia seguinte.)
      Abraço e boa viagem!

  14. Olá, estou embarcando para Shanghai agora é descobri que brasileiros precisam de visto na hora check-in! Por sorte fico 3 dias é depois vou para Hong Kong, então me deixaram embarcar. Mas vou utilizar suas dicas para imigração, espero que funcione! 😪

    1. Oi Leandro! Isso ocorre. Tenho uma conhecida dos EUA que estava de viagem para o Brasil e só no aeroporto tomou conhecimento de que precisava de visto.

      Espero que as instruções sirvam para você. Se o seu tempo de permanência em Shanghai é de até 72h, não vejo por que haver problema. Basta você apresentar aos chineses a sua reserva ou cartão de embarque do voo de seguimento, para Hong Kong. Sucesso, e aproveite a estada na China!

  15. Olá Mairon! Tenho uma dúvida, estou no Japão , irei ficar aqui 3 meses, dps irei continuar viajando pela Ásia, até a validade do ticket, queria saber se pra voltar para o brasil pelo Japão se irei precisar de visto ? Obrigado

    1. Olá Renato!
      Que beleza, 3 meses no Japão!

      Sobre a sua pergunta, não ficou muito claro pra mim se você está a se perguntar sobre a necessidade de um visto de trânsito japonês ou se você está se referindo à China. (Embora você não mencione a China, como o post foi sobre o visto chinês, ficou a dúvida.)

      No caso da China, só é necessário algum tipo de visto se o seu tempo de conexão lá for maior que 72h.
      Caso você esteja se referindo ao Japão, normalmente o Japão exige, sim, um visto de trânsito solicitado antecipadamente caso você queira cruzar a imigração japonesa em vez de aguardar seu voo de seguimento no saguão internacional. Mas como você já está aí, assumo que já tenha um visto, então tudo vai depender de se o seu visto é de múltipla entrada ou não. (Single entry vs. multiple entry.) Se for multiple entry, não terá problemas. Se for single entry, ele não lhe permitirá mais retornar ao Japão para tomar o seu voo de volta ao Brasil.

      Se não ficou claro, ou se eu entendi errado a sua pergunta, é só me dar um toque. Contente em esclarecer o que puder.
      Abraços

  16. Olá. Obrigada pelas informações. Estou indo para Filipinas com escala de 12 horas em Pequim. Será que as malas vão direto para Filipinas? Na volta, decidi ficar em Pequim por 6 dias, me valendo daquela permissão de trânsito de 144 horas. Nesse caso tb não terei o boarding pass, obviamente, já que o voo só sai em 6 dias. O que devo levar para comprovar que sairei do país? Vc levou só aquela confirmação de reserva que a gente recebe por e-mail? Fiquei tensa. Obrigada!!!

    1. Oi Vanessa,
      Muito legal que você irá aproveitar essa nova oportunidade criada pelos chineses de permitir até 144h em trânsito em Pequim. De fato, basta ter a reserva confirmada com o seu nome para o voo de seguimento. Devido ao tempo, ninguém requererá que você já tenha feito o check-in nem mostre nada mais, além de talvez uma reserva de hotel — isso fica a critério dos chineses e pode ser pedido. (Eles costumam pedir reservas de acomodação nas solicitações normais de visto, então é bem possível que peçam de você também pro seu trânsito de 6 dias.) Caso seu voo de retorno não seja para o Brasil, é possível que eles peçam evidência também de um voo de volta pra casa. A menos que você more em outro país e tenha como demonstrar, ex. com um cartão de residente.

      Quanto à sua estada de 12h em Pequim, o mais provável é que as suas malas sejam etiquetadas até o destino final, nas Filipinas, e que não seja necessário apanhá-las em Pequim. Mas isso depende da cia aérea, que pode inclusive perguntar o que você prefere. Algo a confirmar com eles na hora do despacho de bagagem. O padrão é quem, em conexões acima de 8h de duração, eles perguntem o que você prefere.

      Abraço e boa viagem! Qualquer outra dúvida, estamos aí.

Deixe uma resposta

Top