Comidas 1 01
Coreia do Sul

A pouco conhecida comida coreana: Kim chi, gimbap, bibimbap, e mais

Comida coreana é algo que a grande maioria dos brasileiros não faz ideia do que se trata. Ela lembra algo da comida japonesa, mas dentro de certos limites. Há a onipresença do arroz como no restante da Ásia, mas esqueça o peixe cru e substitua-o por porco grelhado. Sim. Além disso, os coreanos adoram pimenta — coisa que você não vê no Japão. E, é claro, há o famoso prato-assinatura da comida coreana: kim chi, legumes fermentados num molho apimentado com um cheiro — e gosto — levemente azedos, que você é capaz de sentir em vários condomínios de São Paulo onde vivem coreanos. 

Vamos a um breve apanhado de coisas que eu tenho experimentado aqui na Coreia, um básico.

Comidas 1 02
A comida coreana mais básica é o Gimbap (às vezes escrito Kimbap), que é o primo coreano do sushi japonês. (Para ser mais preciso, do nori maki, pois para os japoneses isso não é sushi, sushi é só aquele com peixe cru por cima.) Um rolinho de arroz, envolto em alga, e com coisas no meio.
Comidas 1 03
Gimbap. Há recheios diversos, inclusive apimentados, e você os encontra em qualquer loja de conveniências. Os rolinhos coreanos, no entanto, são geralmente mais largos e maiores que os japoneses. (Sem piadinhas.)

Visitando a Coreia você diariamente percebe coisas que são muito semelhantes às do Japão. Afinal, os dois países são geograficamente muito próximos e não deixam de ter tido algumas influências culturais semelhantes. (Só que a cultura japonesa teve uma difusão mundial muito maior ao longo dos últimos 150 anos.)

Uma diferença é que os coreanos tradicionalmente comem com “pauzinhos” de metal, e não de madeira. Originalmente, a realeza e os aristocratas coreanos utilizavam “pauzinhos” feitos de prata, que reagiam com certos venenos comumente usado aqui nos séculos passados. Assim, podiam descobrir facilmente se sua comida havia sido envenenada. Hoje, não se usam mais utensílios de prata, mas eles continuam sendo de metal, ao contrário de China, Japão e Vietnã, que usam pauzinhos de madeira.

Abaixo uma sopa de macarrão com legumes no molho apimentado, típica na Coreia, ao lado de um pratinho com o afamado kim chi acompanhando.

Comidas 1 06
Aspecto de um restaurante coreano em Seul.
Comidas 1 07
Sopa de macarrão com legumes no molho de pimenta vermelha e algas por cima, na Coreia.
Comidas 1 08
Kim chi, o mais famoso prato coreano: legumes fermentados, no molho de pimenta. É acompanhamento essencial de muitas refeições na Coreia.

Gostei? Mais ou menos. Quebra o galho.

Não fiquei assim com água na boca e “gostinho de quero mais”, mas não é ruim. O kim chi é servido frio, como algumas dessas sopas, e tem um gosto que lembra algo de vinagre misturado com pimenta. (Delícia.)

O meu prato coreano favorito, na verdade, foi o bibimbap, um mexidão de arroz com legumes e ovo — e pimenta por cima. O ovo eles normalmente servem meio mole pra misturar com o arroz, mas se você conseguir se comunicar com eles pedir, dá pra o ovo vir mais cozido.

Comidas 1 15
Bibimbap, o meu prato coreano favorito. Simples: um mexidão de arroz (que está por baixo na foto), legumes refogados, ovo por cima, e molho de pimenta à vontade. Mexe tudo, num grande misturão.

Como você já percebeu, é uma culinária tipicamente asiática, marcada por muito arroz, sopas de macarrão (noodle soup), e a pimenta que também é comum pela Ásia continental (China e Sudeste Asiático).

Só que os coreanos têm uma aparente obsessão por porco que me parece estar acima da média aqui na Ásia. Os chineses também comem muito porco, mas aqui na Coreia é quase sempre banha, toucinho, essas coisas assim mais gordurosas, na grelha ou na chapa. 

Não como porco, mas eis aí um cardápio de lá pra vocês verem do que estou falando.

Comidas 1 05
Cardápio coreano, com vários cortes de carne de porco. Quase sempre com aquela gordurinha extra.

Grelhe essa carne toda aí e você terá bulgogi, o mais popular churrasquinho coreano. (E você aí achando que comida oriental é “super saúde”, que só come peixe, etc. Vá nessa.)

Os coreanos comem, sim, muito fruto do mar como os chineses e os japoneses, inclusos aí muito polvo e lula, coisas pouco populares no Brasil mas que aqui são bastante presentes.

Comidas 1 10
Pedacinhos de polvo aqui na Coreia.
Comidas 1 09
Olha que delícia. Não me lembro da última vez em que vi um cartaz tão apetitoso.
Comidas 1 11
Lula seca no mercado.

Passei longe, com toda a sinceridade, então não me perguntem que gosto tem (estão convidados a vir aqui provar).

Já no reino dos doces e das sobremesas, essas culinárias orientais não costumam ser muito fortes, e a Coreia não é diferente. Você tem, no entanto, algumas coisas gostosas — outras, nem tanto.

Há a batata doce assada, também muito comum no Japão, e que aqui você encontra pela rua. E há os bolinhos de arroz que lembram o moti japonês, servido com recheio de feijão doce. Como no Japão, aqui na Coreia feijão é normalmente servido açucarado. Há doce de feijão, sorvete de feijão…

Comidas 1 04
Batata doce caramelizada nas ruas de Seul, Coreia do Sul. É gostosa!
Comidas 1 12
Este aqui é o feijão com arroz coreano: bolinhos de arroz com recheio (ou cobertura) de feijão doce. Se come, mas não é a melhor coisa do mundo. (Eu comprei esse pratinho inteiro e tive que comer tudo sozinho…)

Por fim, como comentei num dos posts anteriores, os coreanos — diferentemente dos chineses e dos japoneses — adoram café, e eles têm bons cafés aqui, sobretudo em Seul. Vale conferir, e faz parte da gastronomia coreana contemporânea.

Fica aí um básico da gastronomia na Coreia. Num geral, pra ser sincero, ela me encantou pouco. Os bibimbap e gimbap são simples e gostosos, mas num geral é muita carne grelhada e sopas, com temperos que vão pouco além da pimenta. Mas valeu a pena ficar conhecendo.

E vocês, alguma experiência com a culinária coreana? 

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

5 thoughts on “A pouco conhecida comida coreana: Kim chi, gimbap, bibimbap, e mais

  1. Como sempre, não me entusiasmo muito com a gastronomia, hahaha, Gosto muito da comida asiática mas prefiro o velho e bom arroz com legumes e ovo. Não passaria fome mas me restringiria a isso, E, claro para o café, que espero que seja quente e forte haha. Ponto para Grifinória com o gosto pela saborosa bebida.

  2. Muito obrigado por todos os seus posts. Tem me ajudado muito. Mas aqui, na comida coreana, voce me deixou com um problema. Vou numa viagem de 40 dias pela região (25 dias no Japão, 7 no Vietnam e 7 na Coreia). O problema é que tenho quase 70 anos, sou diabético e detesto pimenta. O fato de eu ser diabético não me proíbe somente o açúcar. Tem muita coisa que “vira” açúcar no meu sangue, como o amido do trigo. Qualquer coisa que tenha trigo para mim é veneno. Arroz eu posso comer sem grandes problemas. Mas a pimenta realmente eu detesto. É possível usando o tradutor do Google pedir a comida sem pimenta? Na Tailândia eu pedia “no spicy” e vinha sem pimenta nenhuma. Novamente obrigado por todas as suas postagens. Grande abraço.

    1. Bem-vindo, Luiz, e obrigado por sua mensagem! Eu fico contente em saber que posts o têm ajudado! Pelo visto vem uma viagem e tanto por aí. Eu acredito que na Coreia você poderá fazer o mesmo da Tailândia — pedir “no spicy” — e eles o atenderão, mas do KimChi eu acredito que você vai ter que passar longe, pois ele já é apimentado por natureza. Você pode tentar, mas eu não me lembro de ter visto kimchi sem pimenta lá. Já o gimbap, bibimbap e outros você consegue “no spicy” sem dificuldades. Grande abraços e bons preparativos!

  3. Cheguei por aqui, hoje, de paraquedas.
    Gostei muito das postagens sobre a Coreia do Sul. A maioria dos locais eu conheço porque passei um mês por lá de 30/12/2017 a 30/01/2018. Fui com um grupo de 13 alunos do curso de Coreano aqui de Salvador, Bahia, Brasil, acompanhados do nosso professor Kion Seo, coreano nativo. Foi uma experiencia maravilhosa!. Nossa base foi Seoul, mas viajamos a Busan, Sokcho e Ilha de Jeju.
    Amei tudo que vi!!
    Com relação à gastronomia coreana, bom, sou suspeita para falar! Sou Baiana! Gosto de comida apimentada! Amo a culinária coreana! Tem muitos pratos legais e que não estão restritos apenas ao kimbap, bibimbap – que mesmo na Coreia não comi apimentados… No cardapio do meu amigo aqui no Kion´s Kitchen, em Salvador, existem pratos que tivemos a oportunidade de comer na Korea e cujos molhos poderiam ser servidos à parte ou sem pimenta como o Samgyeopsal, o famoso churrasco coreano que consiste de barriga de porco grelhada e é acompanho de alface, nabo e vários molhos (a maioria deles nada apimentados!) e cuja carne é grelhada pelos próprios clientes; em um famoso restaurante em Yeongsinae o churrasco veio acompanhado de partes magras das carne de porco, atendendo todos os gostos! O japchae, feito com macarrão de batata doce, um dos pratos tradicionais mais populares da Coreia, também pode ser servido “no spicy” e em alguns restaurantes que fomos podíamos escolher o quanto apimentado queríamos; O Jeon também conhecido como “panqueca coreana” que é uma massa frita que pode ter peixe, cebolinha, carne, vegetais e diversos outros sabores também não é nada apimentado, exceto o kimchi jeon, pode ser consumido como petisco ou acompanhamento; outro que gosto muito é o Galbitang, uma especie de sopa, feita com costela de boi, nabos, cebola e vários outros ingredientes, que também não é picante; o gyeranjjim que é basicamente um ovo cozido no vapor de uma caçarola, a forma mais comum utilizando apenas ovos, sal, cebolinha e queijo – delicia! no spicy; meu amigo coreano serve o Kongguksu que é uma sopa de noodles servida em uma espécie de leite de soja frio, tambem não leva pimenta, mesmo na Coreia; Samgyetang, também conhecida como “sopa de frango e ginseng” que é um frango inteiro cozido em um caldo de alho, jujuba (a planta, não o doce!) e ginseng – comi muito na Korea, no spicy; o Bulgogi que comi por lá também não tinha pimenta e era servido com folhas de alface e banchan, o famoso side disk, servido separadamente, que tinha kimchi mas havia outros complementos sem pimenta; ah e tinha um frango frito também super fantástico que poderia ou não ser envolto em um molho picante!!! … Muita coisa boa!!! kkk

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *