You are here
Home > Nova Zelândia > O Lago Tekapo e os Alpes do Sul, na Nova Zelândia

O Lago Tekapo e os Alpes do Sul, na Nova Zelândia

Este é um post bastante visual. Não há como ser diferente, o Lago Tekapo [Tê-ka-pô] é uma das áreas mais cênicas de toda a Nova Zelândia.

A ilha sul da Nova Zelândia com sua cordilheira, os Alpes do Sul, trespassando-a ali em branco, pelos picos cobertos de neve. O Lago Tekapo está mais ou menos ali no meio.

Inserido na cordilheira dos chamados Alpes do Sul, que cortam toda a ilha sul da Nova Zelândia, o Lago Tekapo é uma massa azul de 83km² a uma altitude de 710m. Os Alpes do Sul ultrapassam os 3.000m, com o Monte Cook/Aoraki sendo o pico mais elevado de toda a Nova Zelândia, a 3.724m de altura.

(Aoraki, que no idioma Maori quer dizer algo como “trespassador de nuvens”, já era o nome desse monte quando os ingleses aqui chegaram e em 1770 o batizaram de Monte Cook, em homenagem ao capitão James Cook. Hoje, o monte é referido oficialmente com os dois nomes juntos, como eu pus ali.)

A vista já do ônibus é assim.
O Lago Tekapo visto do vilarejo às suas margens que leva o seu nome, com os Alpes do Sul lá ao longe.

Cheguei num começo de tarde, após sair de manhã de Christchurch. O clima estava friozinho, ar de montanha, temperatura de meado de junho no hemisfério sul com seus 10 graus durante o dia. Ar fresco e muita paz.

O sol raiava tornando aquele azul da água ainda mais azul.

Margens rústicas do Lago Tekapo.
Isso não é Photoshop, é o sol na água do lago.
Esta região dos Alpes do Sul é pitoresca ao extremo.
Parece que você veio aos míticos Campos Elísios.
Às margens do Lago Tekapo, na ilha sul da Nova Zelândia.
Na margem, o azul se transforma gradualmente em cristalino.

Banhar-se, nem pensar. A água do lago é gélida, oriunda de glaciares.

O que há aqui além do próprio lago são bosques de coníferas e uma igreja de pedra, a Igreja do Bom Pastor, construída por britânicos pastores de ovelhas. Ali, o mais notável é a estátua de um cão collie, que pertenceu a um escocês que tinha rebanhos aqui no século XIX.

O cachorro se chamava Friday [Sexta-Feira]. A homenagem é pelo reconhecimento ao papel essencial desses cães no pastoreio de ovelhas.

A Igreja do Bom Pastor, em Tekapo.
O interior.
Estátua do cão Friday, ao entardecer.
O lago visto do interior do bosque de coníferas à sua margem.
Sinta-o de perto.

Você se senta ali na margem do lago e pensar o quanto quiser sobre a vida. Mais que um convite, Tekapo é uma intimação à reflexão.

Não há pôr-do-sol, pois ele desaparece atrás das montanhas muito antes de se pôr. À noite, no entanto, é possível ver a olho nu a Via Láctea, se você se dispuser a acordar às 3 da manhã para ir fazer companhia a Friday à beira do lago.

Eu no dia seguinte já partiria para o meu destino final na Nova Zelândia, a sua cidade mais turística do país, o coração da Ilha Sul: Queenstown. Vejo vocês de lá. 

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

Deixe uma resposta

Top