You are here
Home > Holanda > Muiden e Pampus: Entre castelos e fortalezas na Holanda

Muiden e Pampus: Entre castelos e fortalezas na Holanda

Estar na Holanda é estar sempre perto de água — quem já visitou, sabe disso. Mas poucos sabem que houve uma época (não muito tempo atrás) em que este Reino dos Países Baixos quis usar seu relevo e sua susceptibilidade a enchentes como arma de defesa em guerras.

Se você acha que já viu tudo em Amsterdã e arredores, ou quer algo menos turístico que o popular museu aberto de Zaanse Schans, considere uma visita a Muiden. Este vilarejo a 5 Km da capital holandesa é autêntico e tranquilo, conta com um castelo medieval bem conservado, e você de quebra pode conhecer também Pampus, uma fortaleza holandesa do século XIX desenhada para protegê-los dos alemães. (Os holandeses sempre tiveram reservas em relação aos alemães.)

Um dos canais do vilarejo de Muiden, num típico dia nublado holandês.
O Castelo de Muiden, conhecido em holandês pelo nome de Muiderslot (num menos-típico dia de céu azul). Sua construção original data de 1280.
Ilustração do castelo feita em 1649, numa obra chamada Atlas van Loon, com o sobrenome do ricaço holandês Frederik van Loon, que comissionou a elaboração de um atlas ilustrado da Holanda e do mundo nessa época de varcas gordas da História holandesa. (Mais sobre essa época chamada de “idade de ouro” holandesa, aqui.)

Eu cheguei a vir aqui duas vezes em anos diferentes (uma vez com dia nublado e outra com sol) com os colegas de trabalho, na saída anual conhecida em holandês como uitje (saidinha“, pois os holandeses amam diminutivos) — algo que qualquer instituição holandesa que se preze oferece (com tudo pago) aos seus empregados para uma socialização descontraída fora do ambiente de trabalho.

Confesso que nunca entramos no castelo, mas sei que ele hoje é um museu, com o interior recomposto para ilustrar ambientes internos do século XVII. (Site oficial aqui.) 

Ruas de Muiden.
Flores, bicicletas, e arquitetura de tijolinhos: a Holanda típica.
Garoto indo pedalar na longa rua.
Mesas ao lado do canal.
Casas de entradas graciosas.
Frente de casa em Muiden.

Se circular em Muiden não for suficiente, você pode também visitar Pampus. Foi o que nós fizemos. 

Pampus é uma ilha artificial holandesa no lago IJsselmeer, que banha Amsterdã. É uma fortaleza das 42 que os holandeses construíram como linha de defesa contra uma eventual invasão alemã no século XIX. Se isso ocorresse, um bombeamento alagaria toda a região ao redor de Amsterdã, tornando uma invasão por terra praticamente impossível. 

Guia nos explicando. Amsterdã em rosa no centro. Toda aquela área verde seria alagada.

Claro que, quando Hitler invadiu a Holanda em 1940, isso de nada adiantou. Os engenheiros do século XIX não concebiam, é claro, a futura invenção do avião e de bombardeios aéreos. Amsterdã, para a nossa graça, jamais foi bombardeada — daí ela conservar todo o seu belo casario da “Idade de Ouro” holandesa do século XVII. Já Roterdã, segunda maior da Holanda, foi completamente arrasada e precisou ser reconstruída.

Já depois da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), quando os primeiros aviões de guerra começaram a dar as caras, Pampus começou a ficar de lado e acabou abandonada — junto com o plano de alagamento e a linha de defesa — em 1933. (Curiosamente, é o mesmo ano em que o Partido Nazista toma o poder na Alemanha. Quem sabe, se os holandeses soubessem o que estava por vir, tivessem renovado sua estratégia de defesa.)

Não há muito a ver dentro de Pampus, mas não deixa de ser uma visita curiosa para os que gostam de História.

Pampus, o forte cercado de água na Holanda, dos 42 desenhados para formar um círculo de defesa contra uma eventual invasão alemã no século XIX.
Estrutura interna.
O interior podia abrigar centenas de soldados, e no topo havia armas de grande calibre para atirar nos invasores. (Chegaram a instalar armamento anti-aéreo nos anos 1920, mas a coisa não foi muito pra frente e acabou abandonada em 1933.)
Corredores escuros, hoje dominados por aranhas.
E nas águas dos arredores, os amigos patos.
Não faltam planícies alagáveis na Holanda. Hoje a maioria são fazendas, mas esta aqui é um parque ecológico (chamado Oostvaardersplassen) onde deixam crescer as plantas naturais da região e criam-se cavalos selvagens.
Cavalos soltos na Holanda. É um dos melhores exemplos na Europa de “resilvestramento”, termo para restauração ecológica que cria de volta os ambientes naturais do jeito que se imagina que eram. Coisa muito boa de se fazer no Brasil, onde estamos acabando com o que ainda há.
Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

2 thoughts on “Muiden e Pampus: Entre castelos e fortalezas na Holanda

  1. Uaaaauuu que fofura de cidade, Adoro essas ruelinhas com pedras, flores, caramanchões ,entradas e portais floridos e românticos, lindos. A cidadezinha é um jardim a ceu aberto.
    Tambem achei lindas as mesinhas à beira desse belo espelho .d’água, com flores nas balaustradas . Uma beleza para os olhos e para o espirito. Belos campos e lindos animais. Ótima experiencia, Gostei da regiao. A Holanda me encanta.

  2. Imponente a fortaleza, Muito bonito o entorno. Gosto pouco do aspecto soturno delas por dentro hahah vai ver que coisas de outras encarnações hahah

Deixe uma resposta

Top