Noruega

Trens e fiordes pela Noruega: O roteiro “Norway in a Nutshell” no inverno

Viajar de trem pela Noruega é um encanto. No inverno então, é um encanto exótico para nós saídos de países quentes. As ricas montanhas e vales noruegueses ficam cobertos de neve entre janeiro e março, as árvores da paisagem ficam brancas, e muitos rios e cachoeiras, congelados.

Há pelo menos quatro ou cinco rotas ferroviárias muitos cênicas e pitorescas na Noruega que o próprio escritório de turismo norueguês recomenda. A mais famosa dela é a apelidada de Norway in a Nutshell (literalmente “a Noruega numa casca de noz”, o que é uma expressão inglesa para designar um resumo simplificado de algo mais rico e complexo). Entre Oslo e Bergen, as duas maiores cidades da Noruega, esse roteiro de um dia inclui viagem em trem de alta velocidade, em trem antigo, um cruzeiro pelos fiordes, e trecho de ônibus. Há um pouquinho de cada coisa.

A melhor notícia? Embora muitas agências queiram vender-lhe o pacote como se fosse um roteiro turístico delas, todas essas rotas são promovidas pelo Estado norueguês e perfeitamente factíveis por contra própria — sai muito mais em conta.

De início pode parecer complicado, mas garanto-lhes que é fácil e feito por centenas de pessoas todos os dias. Quase tudo se reserva com tranquilidade pela internet (exceto o ônibus, que compra na hora), e os transportes todos esperam uns pelos outros (não se preocupe se o tempo de conexão parecer apertado). Só requer um básico de planejamento.

São 5h em trem moderno OsloMyrdal; 1h em trem antigo, estilo Maria Fumaça, entre Myrdal e Flam; 2h em cruzeiro pelos fiordes entre Flam e Gudvangen; 1h de ônibus entre Gudvangen e Voss; 1h em trem moderno entre Voss e Bergen. Você pode fazer esse roteiro num sentido ou no outro. Eu comecei por Oslo de manhã e cheguei a Bergen à noitinha.   

Mapa oficial do roteiro Norway in a Nutshell, o mais clássico da Noruega. Inclui fiordes e trens cênicos pelo interior do país.
Eu, praticamente garoto-propaganda da NSB, a companhia ferroviária norueguesa.

A NSB, companhia ferroviária norueguesa [recentemente mudou de nome para VY após se integrar com a empresa estatal de ônibus, mas continua o mesmo serviço], será a sua melhor amiga neste passeio. No site dela você compra com cartão de crédito três dos cinco trechos do percurso. Note que há preços diferenciados para crianças de colo, viajantes com menos de 18 anos, e viajantes sênior com mais de 67. Se você baixar o aplicativo da NSB/VY fica ainda mais fácil, pois sequer precisará imprimir as passagens.

Compre com semanas ou meses antecipação, sobretudo se for viajar no verão. Procure por Oslo S para Myrdal para iniciar sua viagem da capital norueguesa. Veja o horário previsto de chegada e depois busque pelo trecho Myrdal – Flam, a chamada Flamsbana, uma linha pitoresca piuí-piuí com trem a vapor pelas montanhas. Não se preocupe em alocar muito tempo de conexão, pois Myrdal é só uma paragem sem nada além da paisagem na estação de trem. 

Note que não há apenas um horário específico neste roteiro. Se você começar mais cedo, chegará mais cedo. No inverno, vale lembrar que os dias são curtos, o sol se põe entre as 15:30 e as 16:30, então não deixe pra chegar a Flam muito tarde ou já não enxergará mais nada da paisagem.

Árvores brancas de neve, vistas do trem moderno no trecho Oslo – Myrdal, na Noruega.
Florestas e rios noruegueses no inverno passando rápido pela janela do trem.
Colinas e campos noruegueses cobertos de neve naquela manhã de sol. Fazia -10 graus lá fora, segundo o trem.
O interior do trem entre Oslo e Myrdal é bem confortável, com lanchonete a bordo e assentos dispostos de dois em dois. (Não há compartimentos.) O painel informa a temperatura exterior e a altitude em que estamos, conforme cortamos as montanhas.
Muita gente esquiando no inverno. Você os verá entrando e saindo do trem com seus skis.
Em Myrdal. Temos basicamente só a estação de trem, com uma pequena lojinha e uma lanchonete com café e algumas opções básicas de comida.
Trem, montanhas nevadas, e o céu.
Este é o trem antigo da linha Flamsbana. Aqui não costuma haver assentos reservados. Você leva aproximadamente 1h aqui de Myrdal à vila portuária de Flam.
De mochila e cuia na estação de Myrdal, no inverno norueguês.
Vistas do trem da Flamsbana para a paisagem invernal.
Pela janela do trem. A Flamsbana é a parte mais pitoresca do passeio, pois a ferrovia entrecorta as montanhas e passa por lugares muito altos. Prepare a câmera.
Pequena parada de 5 minutos para descermos neste ponto onde há uma cachoeira agora congelada no inverno.

Quando chegamos a Flam, já eram quase duas da tarde. O sol já ensaiava querer se pôr. Flam chega a ser um vilarejo, tem mais coisa pra ver que Myrdal, mas mesmo assim só o suficiente para no máximo 1h (a menos que você queira ficar contemplando a paisagem). Há basicamente lojas, casinhas bonitinhas, e restaurantes.

Dali sai o curto cruzeiro que nos leva até Gudvangen, passando pelos fiordes, que são esses braços de mar adentrando o continente. Sua formação data dos períodos glaciares de milênios atrás.

A passagem no cruzeiro você precisa comprar antecipadamente pela internet, mas esta não é com a NSB/VY. Neste site oficial da companhia que realiza os Fjord Cruises você busca as opções de cruzeiro. A viagem aproximadamente leva 2h, mas há tipos diferentes de navio, uns mais caros que outros. Relembro que, se vier no inverno, evite qualquer partida após as 14h, ou viajará no escuro e não verá o fiorde.

No meu caso, pegamos bem o de 14h. Do navio veríamos a luz do sol aos poucos desaparecer por detrás das montanhas geladas.

Na plataforma da estação em Flam. Há algumas casinhas, lojas e restaurantes entre a estação e o porto. Tudo é pertinho e bem pequeno.
Placa que encontrei em Flam. (“Alguma pessoas querem que aconteça, algumas desejam que acontecesse, outras fazem acontecer.“)
Dando partida com o nosso navio de Flam para Gudvangen.
As montanhas e as águas do Mar do Norte adentrando pela Noruega neste fiorde. A vista é maravilhosa.
O sol já tímido, ensaiando se pôr naquele curto dia de inverno.
O céu do crepúsculo por sobre o fiorde norueguês.
A lua até apareceu no céu, embora não fosse nem quatro da tarde ainda.
Parece mágico, não é?

Quando chegamos a Gudvangen às 16h, o ônibus que nos levaria a Voss já estava de faróis acesos nos aguardando. Ele não sai sem levar todos os passageiros do navio, não se preocupe.

Desta hora em diante, era basicamente completar o trajeto até Bergen. O ônibus não vende passagens online antecipadamente; é preciso comprá-las direto do motorista por cerca de 12 euros, que você paga em espécie com coroas norueguesas ou no cartão de crédito. O motorista tem uma máquina.

Por fim, de Voss, onde ele o deixará à estação de trens, você toma o trem final — comprado online antecipadamente com a NSB/VY — até Bergen. Para saber para qual horário reservar esse trem, veja o horário previsto de chegada do navio a Gudvangen, e adicione aí 60-80min do trecho de ônibus desde Gudvangen até Voss. Bote os nomes no papel, e você verá que em uma hora soluciona tudo. Não se intimide (e, se tiver alguma outra dúvida, ponha aí abaixo nos comentários).

É um passeio de um dia inteiro, mas um dia maravilhoso, sério candidato a ser dos mais bonitos da sua vida.

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

11 Replies to “Trens e fiordes pela Noruega: O roteiro “Norway in a Nutshell” no inverno

  1. Uaaaaauuu que maravilha é essa!….. Parece que você entra em um lindo filme em região fantástica, ou passou pelo guarda-roupa e saiu em Nárnia. Uuuuuu que beleza!… coisa de cinema, como diria um velho amigo…
    Lindíssima essa região… e esse percurso é um show. Que beleza são esses Fiordes, que linda a neve, que belos rios e montanhas… Parece um sonho. Belíssimas paragens. Linda natureza, bela neve, linda postagem. Uaaauuu. Adorei.

  2. Ola Mairon vou fazer Oslo -Bergen agora em Novembro ,voce sabe me dizer comprando avulso ,quanto custa ou quanto % se econômiza?
    Obrigado

    1. Oi Andre, bem vindo!
      A economia dependerá (1) do quanto uma agência teria lhe cobrado (pois elas varia no preço), e (2) do preço promocional que você conseguir pelo site oficial da Companhia Ferroviária Norueguesa. Neste último caso, não é questão tanto de sorte (como preço promocional em passagem de avião), mas de antecedência. O quanto antes você comprar, mais barato sai. Você pode comprar com até 90 dias de antecedência pelo site oficial da VY (https://www.vy.no/en), novo nome da antiga NSB.

      Por exemplo, Oslo-Bergen em meado de agosto sai pelo equivalente a 120 USD. Já a mesma rota no final de setembro, se você comprar agora, sai por 45 USD. Então a economia é grande. (Note que os preços no site são em coroas norueguesas, e que há preços com desconto para passageiros de certas categorias, como jovens ou idosos, caso alguém no seu grupo de viagem se encaixe.)

      Novembro não é um mês muito procurado, pois as pessoas fogem um pouco do frio e do escuro, mas mesmo assim a partir do mês que vem você já poderá consultar naquele site os preços dos dias que você quer viajar.

      Havendo outras dúvidas, estamos aí.

    1. Que legal, Teresa!
      Foi uma viagem em janeiro. Se você gosta desse clima invernal, é uma ótima opção. Fevereiro é semelhante.

      Já se você prefere algo mais primaveril, maio ou junho seriam o ideal. Julho e agosto são o auge do verão, com dias longes, e setembro/outubro tem cara de outono. (Novembro já é chuva e escuridão, assim como a maior parte de dezembro).

      Qualquer dúvida, estamos aí. Seja bem vinda!

  3. Oi. Estamos a planear ir fazer esta viagem em dezembro. Como é que você conseguiu fazer a viagem de barco no mesmo dia? Procurando no site que você coloca aí só estamos encontrando barcos para 09h30 ou 15h00… será que devemos dormir em flam? Ou haverá outra opção?
    Os barcos tem espaço interior certo? Vamos com um bebê de 1 ano… muito obrigada

    1. Oi Sara, seja bem vinda!

      Sua questão me fez buscar o site da empresa norueguesa novamente. Eles no momento estão mesmo limitando o número de partidas no inverno para apenas aqueles dois horários. (Se você buscar no verão, como por exemplo agora ainda em setembro, encontrará os vários outros horários disponíveis. A partir de outubro é que o calendário parece mudar.)

      Vocês aí têm duas opções. (1) Podem dormir em Flam, que é um vilarejo bem pequeno, mais para contemplação da natureza, e tomar o ferry da manhã do dia seguinte. Ou (2) fazer o trajeto todo no mesmo dia, como eu fiz, usando o ferry das 15h00. Há, sim, espaço interior amplo, com muitos assentos e também uma cafeteria modesta. O transporte é tranquilo e confortável. Não antevejo problema para acomodar seu bebê.

      A limitação é a duração da luz do sol, já que os dias ficam bastante curtos. Receio que no ferry das 15h vocês pouco veriam da paisagem. É uma viagem de 2h de duração, mas o sol em dezembro lá se põe às 15h30 ou antes. Ou seja, a maior parte da viagem seria no escuro.

      Resumo da ópera: Se vocês quiserem fazer esse passeio no inverno, mas tiverem disponibilidade para ir em fevereiro, vale a pena fazer todo num dia com o ferry das 15h00. Já se for em dezembro ou janeiro, sugiro considerarem a ideia de pernoitar em Flam e tomar o ferry da manhã. O sol nasce por volta das 9h30 em Flam em dezembro, então deve ser um passeio bonito, que vale a pena.

  4. Olá Mairon!
    Estamos planejando ir em janeiro para fazer o mesmo trajeto que fez, mas me preocupa 2 pontos: 1. meu filho que já está viajando a estudo terá 2 malas grandes e nós pelo menos 1 grande. É fácil ficar carregando toda essa bagagem pelos trens, ônibus e navio? Qual dica pode dar?
    2. Será mesmo que consigo reservar tudo aqui pelo Brasil sem agência para casar horários,, encontrar os pontos de saída, etc…? Obrigada!

    1. Olá Rosely! Bem-vinda ao site!

      Você irá adorar esse passeio pela Noruega no inverno. É mágico! Vamos aos seus seus pontos:

      1) Não há problema carregar toda essa bagagem pelos transportes na Noruega. (Vocês não serão os únicos!). Os trens noruegueses contam com espaços onde alocar malas grandes em todos os vagões. Terá trabalho, claro, de se locomover e acomodar as bagagens, mas isso vocês já devem esperar. Nos ônibus, eles alocam bagagens sem problema no compartimento próprio (como em bons ônibus interurbanos no Brasil ou mundo afora). E no navio há bastante espaço; você talvez precise ficar de olho nas bagagens, pois — ao que me lembro — elas não têm compartimento dedicado, vão com os passageiros, mas aí são cuidados básicos.

      A dica aí que eu posso dar é que procurem estar entre os primeiros a entrar nos trens, pois às vezes os espaços para malas grandes são ocupados com certa rapidez, e aí vocês podem teriam que “se virar nos 30” para alocar debaixo de um assento ou em alguma parte do vagão. Normalmente, essas malas grandes *não* vão sobre as cabeças dos passageiros acima dos assentos. Esse espaço é dedicado às malas pequenas ou mochilas; mas você sabe como as pessoas às vezes são: muitos acabam indevidamente ocupando os espaços para malas grandes com esses volumes pequenos. Portanto, sejam dos primeiros a entrar e aloque suas bagagens enquanto ainda há espaço livre. (No ônibus e no ferry não faz diferença.)

      2) Consegue, sim, reservar tudo sem problema pela internet. Os sites aceitam cartões brasileiros. Só precisará de alguém com certo domínio de inglês para navegar os sites das companhias norueguesas de trem e de ferry (ou a ferramenta de tradução automática do navegador Google Chrome). Os horários são todos casadinhos como peças de dominó uma depois da outra, a propósito pois eles sabem que muita gente faz esse percurso. Basta seguir as pessoas. (São lugares pequenos, não há muito por onde se perder.)

      O único ponto é que, já que irão em janeiro, com os dias bem curtos, a empresa de ferry parece ter restringido os horários de saída para um horário de manhã e outro à tarde (quando o sol já se pôs e você já não vê nada da paisagem). Então talvez valha a pena pernoitar em Flam, no vilarejo de onde sai o ferry, para tomar o da manhã seguinte com o dia claro e a paisagem em vista.

      Se precisar de qualquer outro esclarecimento ou tiver outra dúvida, estamos aí. Bom planejamento!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *