You are here
Home > Alemanha > A bela e medieval Büdingen, a “Cidade dos Sapos” na Alemanha

A bela e medieval Büdingen, a “Cidade dos Sapos” na Alemanha

Bem vindos à medieval Büdingen, no coração da Alemanha, a pouco tempo de Frankfurt. Esta é uma cidade de apenas 22 mil habitantes que até os próprios alemães pouco conhecem. Quando a conhecem, é quase sempre pela fama secular de A Cidade dos Sapos. Há uma razão antiga por trás disso.

Com suas casas em enxaimel (half-timbered houses, aquelas estruturas de madeira que você vê abaixo nas fotos), Büdingen está aqui desde pelo menos o ano 847. A maioria das muralhas e torres datam do fim do século XV, quando o senhor local decidiu proteger-se melhor após uma guerra. A cidade é repleta de tradições curiosas. O lugar continua todo pitoresco como deve ter sido há séculos atrás.

Büdingen com suas casas em enxaimel. É o nome que se dá a essas casas típicas germânicas construídas com eixos de madeira por entre a alvenaria. Estão por toda parte aqui.
Ruas de outrora, com seu casario típico em Büdingen.
Casas típicas germânicas em enxaimel. Você encontra desse estilo também em lugares de colonização alemã no Brasil.
Büdingen é de uma tranquilidade enorme nas quietas ruas por dentro de suas muralhas.
Adentrem…

Eu vim parar aqui em visita a uma amiga local, Arnika [lê-se algo como “ânika”, não arnica], que conheci quando visitei a Armênia. Veja como o mundo dá voltas (e eu também). 

Foi ela quem me falou pela primeira vez de Büdingen, da qual eu jamais ouvira falar. Mas o lugar existe; eu procurei e achei. Rende um belo passeio de algumas horas a ver suas fortificações, ruelas bonitas e o castelo onde dizem que viveu a condessa que deu origem à lenda dos sapos.

Diz a lenda que, em 1522, o prestimoso Conde Anton von Isenburg (figura histórica!) casou-se com Elizabeth von Wied, e trouxe-a para morar consigo aqui no Castelo de Büdingen. A cidade, no entanto, era repleta de sapos a coaxar nos seus arredores e com isso a recém-casada não conseguia dormir. Não conseguiu nem consumar o casamento direito, e ameaçou o marido: “Dê um jeito nisso ou eu amanhã retorno à casa do meu pai!

O prestimoso conde de pronto ordenou que chamassem todos os habitantes da cidade, que logo vieram em seus pijamas munidos de espadas e arcos, crendo que alguma batalha estivesse iminente. Nada; não havia sons outros que não o habitual coaxar dos sapos ao qual todos em Büdingen já estavam acostumados. Vieram então as ordens do conde para que todos os tais anfíbios fossem capturados.

Trazidos à praça principal, os sapos estavam sem saber o que ocorria de repente. O ruído na cidade, entretanto, estava ensurdecedor. Chamaram a brigada de incêndio para lidar com aquilo, mas indicaram que os sapos estavam por demais molhados para pegar fogo — e ninguém se interessou por sapos fritos. Um lorde sugeriu que os açougueiros tomassem uma providência, mas estes retrucaram que o estatuto de sua guilda — proclamado pelo conde em pessoa — não mencionava sapos. 

Todos concordaram que os arqueiros é que deveriam agir. Estes defensores da cidade, todavia, argumentaram que só havia as flechas suficientes para defender a cidade. Diante do impasse, tiveram a ideia brilhante de jogar os sapos no rio. “Como não pensamos nisso antes!”, dizem ter declarado um dos chefes da cidade.

Dito e feito. À noite, tornaram a ouvir um coaxar um outro, mas diziam ser apenas o eco dos sapos sendo levados rio abaixo. O que se sabe é que a condessa nunca mais se queixou. Talvez tenha se acostumado.

Desde então, Büdingen é conhecida como “A Cidade dos Sapos”, e seus habitantes carregam esse apelido. Todos os anos, durante o verão, realiza-se um concurso de miss para eleger a Rainha dos Sapos (Büdinger Froschkönigin) do ano. 

A Rainha dos Sapos de Büdingen. Foto da páginal oficial do escritório de turismo da cidade, onde você pode ler mais a respeito.
Você ainda encontra muitos sapos pela cidade (não eu, aquele ali na parede atrás de mim).

Büdingen segue com sua muralha, torres e pontes, o que rende uma visita muito “de época” com ou sem sapos. Seu castelo onde morava o conde também ainda está de pé.

Uma das entradas de Budingen com suas seculares fortificações em pedra.
Bem vindos.
Torre e o riacho por debaixo da ponte.
A vista por cima da muralha, onde hoje circulam adolescentes a ler e/ou fumar.
A praça principal da cidade com sua fonte.

Numa dessas voltas, quem nós encontramos foi o prefeito. Minha amiga trabalha com ele. É um senhor animado, algo pesado, com aquele astral de prefeito de cidade pequena que fala com todo mundo. Ia passando de carro e parou para prosear. Animou-se com a visita brasileira de tão longe e deu-me aquele aperto de mão de político.

Com a licença aos que não curtem, mas sabe o que aqui me parece? Cidade cenográfica de novela, tipo São Tomás de Trás ou outras dessas em que os personagens tinham sotaque nordestino — só que aqui com ares do sul, ou da Alemanha. Os lugares pitorescos, as pequenas historietas, os personagens… 

Fomos à igreja, onde encontraríamos mais uns e outros para prosear, e depois ao castelo.

Com o vetusto trono de Budingen. (Quem precisa do Trono de Ferro?)
A vista para a Igreja de Santa Maria (Marienkirche) em Budingen.
Esta igreja foi consagrada em 1492, em estilo gótico. Ela mais tarde seria reformada e transformada em luterana, mas algumas antigas imagens permanecem.
Obras na secular Igreja de Santa Maria em Budingen.
O castelo onde viviam o conde e a condessa em Budingen. Hoje você pode se hospedar aí se quiser.

Eu, no entanto, já estava de partida. Esta era uma visita curta à Cidade dos Sapos na Alemanha. Uma refeição rápida e um meu trem rumo a outras bandas. Estejam apresentados.

(Minha visita se deu na primavera, mas se você acontecer de estar por estas bandas no outono, às vésperas de Natal, a cidade parece também estar encantadora. Esse abaixo é um vídeo oficial mostrando. Deixo vocês com ele.)

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

One thought on “A bela e medieval Büdingen, a “Cidade dos Sapos” na Alemanha

  1. Ihhhhh que lindinha!…. outra cidadezinha encantada, saída dos livros infantis! de anos atras… que belezinha. Adorei. E a historieta, bem sugestiva. Curiosa hahah. Ainda bem que os pobres sapos devem ter se safado correndo para as margens hahaha
    Amei a cidadezinha. Adore4i suas muralhas e clima medieval. Uma graça.
    Esse lugarzinho cheio de flores no final da postagem e esse maravilhoso video da cidade em clima natalino e com as feirinhas de Natal, me conquistaram. Lindos. Amei. Obrigada. A cara dessa Europa de Natais lindos e nevados e gostosos. Maravilha. Adoro esse tempo Natalino com tudo o que ele traz.

Deixe uma resposta

Top