Noruega

Ferrovia Rauma (Noruega), “a viagem de trem mais bonita da Europa”

Qual é a viagem de trem mais bonita da Europa?

Segundo os noruegueses, e de acordo certa vez com o popular guia de viagens Lonely Planet, a mais bela é a viagem pela Ferrovia Rauma no interior da Noruega, espelho espelho meu.

A escolha se deu em 2013, mas os noruegueses seguem agarrados ao resultado. Não sei se houve outra eleição desde então. Por aí você encontra vários rankings, normalmente com as mesmas rotas apenas trocando de posição.

A Raumabanen, como a chamam os noruegueses (ou Rauma Railway em inglês) está sempre presente dentre as melhores, seja ela ou não a nº1. Essa curta ferrovia que você percorre em cerca de 1h cruza um trecho pra lá de cênico por entre montanhas e cortando rios no miolo da Noruega.

A Ferrovia Rauma na Noruega. (Foto de Leif Johnny Olestad, promocional do site oficial visitnorway.com. Eu afinal estava do lado de dentro do trem.)

Eu levantei cedo em Oslo para o que seria uma longa jornada, após retornar de Bergen no dia anterior. Infelizmente, não é possível ir direto de Bergen a Trondheim de trem. Voltar à capital é preciso.

Comecemos então pelo que você vê entre Bergen e Oslo no verão, quando eu retornei.

Da janela do trem, no caminho de Bergen a Oslo. Você pode tomar um trem direto entre estas duas cidades se não se dispuser a fazer todo o trajeto Norway in a Nutshell, ou se já o tiver feito. Leva cerca de 6h30, e as vistas são recompensadoras.
Casario típico pelo interior da Noruega, na linha férrea entre Bergen e Oslo.
Lagos e casas escandinavas no elevado miolo do caminho de trem entre Bergen e Oslo.
Este aqui já foi em Oslo, uma merenda para o caminho até Trondheim no dia seguinte. Um horrível suco com gengibre, maçã, limão, pimentão vermelho, pimenta, abacate e cenoura. (Serve até para exorcismo.)

De Oslo, você viaja 6h 43min num trem rumo ao norte para chegar a Trondheim se quiser ir direto. Essa é a chamada Ferrovia Dovre (Dovre Railway), pois eles aqui na Noruega são espertos e fazem um marketing turístico danado. Cada trecho recebe um nome próprio.

Para tomar a Ferrovia Rauma, você se detém na estação de Dombås, a meio caminho para Trondheim, e lá muda de trem. A Rauma é como se fosse um trecho lateral que liga Dombås até a cidadezinha de Åndalsnes. (Caso você esteja curioso sobre como se pronuncia esse å em norueguês, é um som no meio do caminho entre A e O.)

Se você fizer tudo como eu fiz, sai de Oslo logo cedo, desce em Dombås, faz um bate-e-volta até Åndalsnes na Ferrovia Rauma, e de retorno a Dombas completa o caminho até Trondheim. No todo, leva um dia inteiro. Você chega a Trondheim ainda em tempo de jantar — e inclusive ainda com luz do sol, se vier cá no verão.

Você pode também escolher se deter em Åndalsnes mais tempo, o que recomendo basicamente aos fãs de trilhas e de campismo. Não há muito mais na pequenina cidade, por isso fiz o bate-e-volta, que recomendo aos demais.

O próprio trecho já desde Oslo rumo ao norte até Dombås já oferece lindas vistas. Ferrovia Dovre com vocês abaixo.

O interior da Noruega é repleto de lagos, rios e fiordes (braços de mar que adentram o continente). Aqui entre Oslo e Dombås.
Paisagem entre Oslo e Dombås.
Em Dombås, hora de trocar de trem para finalmente entrar na Ferrovia Rauma. (Você pode comprar as passagens online tendo atenção ao tempo de conexão. Minha experiência com os trens aqui na Noruega é a de que eles raramente atrasam.)

Vamos lá, agora para a Ferrovia Rauma.

O casario de madeira por sobre os prados.
Vista para um amplo vale.
Dos muitos corpos d’água que há em tons esverdeados por entre estas montanhas.
A partir desta pequenina estação de Bjorli é que a coisa começa a ficar interessante.
Vale adentro, com algumas breves cascatas em vista.
As corredeiras, e as montanhas começando a tocar as nuvens ao passo em que ganhamos altitude.
Casinhas perdidas aqui nas montanhas. São em geral casas de fim de semana ou de verão.
As montanhas da Noruega na Ferrovia Rauma. (Quem assistiu ao Hobbit pode cantar comigo, ♫ Far over the misty mountains cold… ♫)
É cada paredão rochoso mais impressionante que o outro por sob as nuvens.
O interior do trem é assim, caso alguém esteja a se perguntar.
Vale enevoado na Ferrovia Rauma.
Até que, cerca de 1h depois, chega-se a Åndalsnes.

Åndalsnes é um vilarejo pequenino de 2 mil pessoas à margem de um fiorde, onde aqueles pequenos rios que nos acompanharam encontram o mar. 

Depois de muito suspender a vista dentro do trem para ver as montanhas, você pode aqui esticar um pouco as pernas e também almoçar.

O tempo durante o verão aqui é um tanto instável. Não creia piamente no sol.

Flores brancas e a vista aqui no vilarejo de Åndalsnes.
O pequenino vilarejo é bonitinho. (Aviso que não há muito o que fazer aqui além de contemplar a vista.)
A prefeitura de Rauma, município que abarca este vilarejo de Åndalsnes. Daí o nome da ferrovia.
A paisagem é cênica.
Canoa e fiorde na Noruega.
Ali com a paisagem.

Almoçamos algo num restaurante ao lado da estação ferroviária, e logo tomaríamos o trem de retorno a Dombås para então completar o caminho até Trondheim mais ao norte.

A volta é tão cênica quanto a vinda, naturalmente. Em qual lado do trem é melhor sentar? O esquerdo é melhor para quem vem de Dombås a Åndalsnes. Na volta você pode repeti-lo, agora sentando-se no lado direito, ou pode experimentar o outro lado. (Na hora de comprar online as passagens de trem, você poderá escolher o assento.)

As belas vistas da janela do trem na Ferrovia Rauma.

Os fãs de Harry Potter ficarão contentes em saber que aqui foram feitas das poucas — ou únicas — filmagens fora do Reino Unido em toda a série.

Os personagens Harry e Rony tomam um trem nesta rota no inverno, durante o 6º filme, Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009).

Os personagens passam por Bjorli no inverno, aqui na Ferrovia Rauma. Cena de Harry Potter e o Enigma do Príncipe (2009).
Voltando ao mundo real dos louros nórdicos, chegamos à tardinha de volta à estação de Dombås, onde pegaríamos o trem para terminar o caminho até Trondheim.

É mesmo a mais bonita da Europa?

Eu nem sempre comparo lugares, mas já que os noruegueses jogaram essa de “a mais bela da Europa”, darei a minha opinião.

A Ferrovia Rauma é sem dúvida muito bonita, mas eu não sei se é mesmo a viagem de trem mais bela do continente. Pareceu-me comparável à Flamsbana, do passeio Norway in a Nutshell, embora seja diferente, mais montanhosa.

Em escala mundial, eu a poria atrás do Andean Explorer no Peru, do trem que corta as Montanhas Rochosas no Canadá, ou das vistas de trem na Nova Zelândia. Convido-os a nomear as suas favoritas.

Todas essas ferrovias são lindas e merecem ser vistas, pois cada uma é singular. A principal limitação da Rauma é ser curta. Meu professor de biologia no ensino médio costumava dizer que sexo de coelho era tão rápido que um dizia ao outro: “Vai ser bom, não foi?“. (Estou imaginando a cara dos noruegueses se me vissem comparar a Raumabanen a sexo de coelho, mas é um pouco assim.) Parece brinquedo da Disney, daqueles que demoram de começar, e quando você menos pensa, já acabou.

Por sorte, as belezas paisagísticas norueguesas estão muito longe de estar limitadas a um único trecho. Eu ainda veria bem mais — talvez até melhor — conforme rumava ao norte e o ambiente ia ficando mais rústico.

Estaçõezinhas ferroviárias pequenas e pitorescas no caminho entre Dombås e Trondheim, rumo ao norte.

E para o norte nós rumávamos. Eu revejo vocês em Trondheim.

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *