Trens na Italia 1 01
Itália

Viajar de trem na Itália: Opções, dicas, alertas, e como comprar online

A Itália é dos melhores países que há para se percorrer de trem. Densa de cidades-chave, rica com uma malha ferroviária que o leva a quase qualquer lugar, e confortáveis trens de alta velocidade.

É que no Brasil, pela nossa cultura rodoviária importada dos norte-americanos, sabemos da indústria do automóvel italiano (Fiat, Ferrari, Lamborghini…) sem conhecer seu Pendolino e demais trens exportados à Grã-Bretanha, Finlândia e a outros países. (Bem que podiam exportar também para o Brasil…)

Passando da produção ao uso, duas grandes companhias operam os trens na Itália: a Trenitalia, operadora principal, do governo italiano, e a ItaloTreno, uma empresa privada que começou a operar em 2012. 

Não tenha preconceito; ambas são boas. O importante é saber que há opções quando os preços de uma numa rota estiverem muito altos. Os serviços são de qualidade muito semelhante. Até os aplicativos de celular de uma e da outra me parecem ter mais ou menos a mesma estrutura.

Neste post, pretendo fazer um guia geral para usar e adquirir passagens nos trens italianos, esclarecendo o que tem e o que não tem, e fazendo alguns alertas.

Il benvenuto a tutti i passeggeri!

Page break 1

Como são os trens italianos?

Os trens italianos são essencialmente trens diurnos, como a maioria na Europa, com assentos 2 + 2 e um corredor no meio — ou, em alguns casos de classes superiores, 2 + 1.

O espaço para pôr bagagens é basicamente acima das poltronas (lembre-se portanto de que terá que levantar suas malas para pô-las lá).

Trens na Italia 1 02
O típico arranjo dos trens na Itália.
Trens na Italia 1 06
Um trem regional (com alguns assentos bloqueados no tempo da Covid). Os regionais são mais sossegados, mas têm espaços menores onde guardar bagagem, já que raramente são usados para viagens de longa distância.

Os tipos de trem

Os níveis de conforto, amenidades e velocidade variam conforme a categoria do trem. A grande maioria são os modelos da Trenitalia.

Os mais básicos e baratos são os trens regionais, que se dividem em regional (regionale, REG, o pinga-pinga que para em todas as estações) e o regional veloz (regionale veloce, RV, que para em menos estações, mas ainda assim em muitas). Eles são sobremaneira úteis para chegar a cidades turísticas pequenas (ex. Assis, Lucca), onde os trens de alta velocidade não passam, ou passam mas não param.

Daí você tem os Intercity (IC), um meio termo entre os regionais e os de alta velocidade. Você pode usá-los para viagens de média distância. São mais baratos que os Frecce, de alta velocidade, embora demorem mais por pararem em mais estações.

Os Frecce (“flechas”) são a nata das ferrovias italianas. Estes trens de alta velocidade dividem-se em três tipos que a maioria dos estrangeiros mal diferencia: 

    • Frecciarossa: Os mais rápidos dentre os rápidos. Chegam a impor 300 Km/h, com classes executivo, business, premium e standard. Vão das grandes cidades do norte da Itália até Roma e, depois, Salerno (próximo a Nápoles) como limite sul até a presente data.
    • Frecciargento: Chegam a 250 Km/h e a um maior número de cidades, até Reggio Calabria no bico da bota.
    • Frecciabianca: Alcançam até 200 Km/h, e vão a um número de cidades ainda maior. 

O mapa abaixo mostra estas rotas dos três trens de alta velocidade da Trenitalia.

Le Frecce mapa
Mapa dos trens de alta velocidade da Trenitalia, operadora estatal, pelo país.

Os Italotreni, da companhia privada, são competidores de alta velocidade do Frecciarossa, e também operam basicamente no eixo entre Roma e as cidades maiores do norte da Itália. 

O Italotreno possui a área padrão e uma chamada Zona Comfort, ligeiramente mais cara e que na prática não muda muito. O principal é ter o arranjo de poltronas 2 + 1 em vez de 2 +2. Há um pouco mais de espaço nas poltronas (tipo dois descansadores de braço em vez de um para partilhar com a pessoa do seu lado). É mais útil se você estiver viajando sozinho e for do tipo que ora para não aparecer uma pessoa chata (ou grande demais) a se sentar do seu lado.


Amenidades a bordo

Tem wi-fi?

O Italotreno e os Frecce têm wi-fi gratuito. Os InterCity and trens regionais, não.

Espaço para malas?

Evite muita bagagem. A coisa mais habitual nas rotas turísticas italianas é ver pessoas apertadas com malas enormes sem ter onde acomodá-las bem nos trens.

Os espaços acima dos assentos costumam ser os únicos disponíveis — e malas largas demais não cabem. Você acaba tendo que acomodá-las malmente num assento vazio, se houver. Se puder, evite vir com volumes muito grandes e/ou pesados nos trens italianos.

Entre cedo no trem para poder acomodar logo suas bagagens. Adivinhe: o espaço acima das poltronas lota fácil, sobretudo na alta estação. Volumes maiores às vezes podem ser levados consigo se o trem não estiver muito cheio, ou encaixados no vão entre assentos que estejam de costas um para o outro, caso você dê sorte. De toda feita, é melhor entrar logo e se acomodar que encontrar o trem já cheio de gente.

Trens na Italia 1 03
As malas em cima, e os passageiros aqui num arranjo 2 + 1 do Italotreno. Este foi um trem civilizado; alguns outros vão entupidos de turistas.

Alimentação a bordo

Este é um diferencial entre os Frecce e o Italotreno. Eu prefiro os Frecce da Trenitalia neste aspecto, pois eles têm vagão-restaurante com uma vendinha de café, bebidas, pães, sanduíches, etc. Não imagine aqueles vagões-restaurante de outrora, chiques, à là o Expresso Oriente, mas uma vendinha tipo cafeteria. Salva sua vida.

Nos Italotreni não há vagão-restaurante. Pode não fazer diferença nas viagens curtas, mas é bom ter isso em mente caso você faça as “pernadas” mais longas, tipo Veneza-Roma, ou ouse um Milão-Nápoles.

O Italotreno tem somente uma “Area Snack” com uma máquina de café que só funciona com moedas (€1,20 o café) e uma outra de lanches prontos que trabalha com cartão.

Trens na Italia 1 05
A Area Snack do Italotreno. Estas máquinas são só o que há em termos de alimentação a bordo nestes trens privados. Os rápidos da Trenitalia oferecem uma cafeteria mais digna, com alguém o atendendo e mais opções, além de às vezes também alguém passando com o carrinho no corredor.
Trens na Italia 1 04
Eu morro com estes cafés italianos microscópicos… Parece sexo com ejaculação precoce, que você se anima e num instante já acabou.

E os banheiros?

O nível dos banheiros sobe de acordo com a categoria dos trens. Nos regionais eles podem estar meio sujinhos. (São “íveis” para n.1 masculino.)

Já os de alta velocidade e o ItaloTreno têm banheiros melhores, bem asseados, com papel e tal. Os com acesso para deficiente são os melhores e mais espaçosos. (Só não se esqueça de apertar o botão de trancar a porta, pois já assisti a situações embaraçosas em que a porta automática abria com a pessoa lá dentro sentada em vista para todos.)

Trens na Italia 1 07
Os banheiros nos trens de alta velocidade podem ser assim.

Como adquirir suas próprias passagens de trem online

O preços das passagens de trem na Itália quase sempre flutuam a depender da antecipação com que você comprar. Tanto a Trenitalia quanto a Italotreno possuem sites funcionais e aplicativos de celular, onde você pode adquirir suas passagens diretamente, sem precisar de agência. Evitam-se as taxas administrativas ou aumentos de preço das empresas e sites que revendem.

Site oficial da Trenitalia (https://www.trenitalia.com/en.html)

Site oficial da ItaloTreno (https://www.italotreno.it/en)

Os links acima estão para as versões em inglês das respectivas páginas, mas ambas (obviamente) também possuem versões em italiano, caso você prefira.

(Atente que “solução” é o jargão empresarial de hoje em dia, neste caso para mostrar as opções de viagem que você tem.)

Trens na Italia 1 08b
A página inicial do site da Trenitalia, principal operadora de trens italianos, com um Frecciarossa e um Frecciargento em destaque. No lado direito, você indica o número de adultos e crianças viajando.

Não é obrigatório se registrar nos sites; você pode fazer a compra “anonimamente” e ainda assim receber os bilhetes no seu e-mail, contendo um QR code que pode ser lido a máquina e um código de letras e números (PNR) feito reserva de avião.

Você não precisa imprimir as passagens, pode mostrá-las no celular pelo aplicativo. Diz a lenda que, na real, basta você dar o código de reserva (PNR), mas não cheguei a tentar isso.

Os aplicativos de celular da Trenitalia e da Italotreno são muito parecidos, e vale muito a pena tê-los. Usando seu código de reserva, você também localizar seus bilhetes no aplicativo mesmo que não os tenha comprado por ele. É muito prático. 

Precisa comprar com antecipação?

Depende do tipo de trem. Via de regra, para os trens de alta velocidade, sim. Seus preços flutuam e vão aumentando conforme os assentos se esgotam.

Comprando antes, você garante preços muito mais camaradas nos Frecce. Por exemplo, uma viagem de Veneza a Roma pode sair a 29 euros se comprada antecipadamente, ou 90 se comprada em cima da hora. E, como a Itália é bastante visitada, você pode simplesmente não encontrar mais assentos.

Eu pessoalmente prefiro viajar pela Trenitalia por causa das melhores opções de lanche a bordo, mas o que sempre faço é comparar os preços dos Frecce e do ItaloTreno nas rotas de longa distância (leia-se, mais de 1h de viagem). Às vezes, um já está o dobro do outro, e se pode economizar bastante fazendo essa pesquisa simples.

Os trens Frecce costumam abrir para venda com 3 meses ou mais de antecipação, mas isso não é bem seguido à risca. A depender da época do ano, podem abrir até 6 meses antes. Se você buscar e o site disser que não há nada disponível, volte a tentar dali a uma semana. 

Trens na Italia 1 09
Site da companhia privada ItaloTreno, que faz competição com o Frecciarossa da Trenitalia em certas rotas. Vale a pena averiguar os preços dos dois.

para os trens regionais, é melhor não comprar com antecedência, pois (1) eles não mudam de preço, (2) nunca se esgotam pois se pode viajar em pé, e (3) os bilhetes físicos, adquiridos nas máquinas de venda das estações, têm validade aberta para qualquer trem regional fazendo aquela rota num certo espaço de horas naquela data — se você perder um, pode tomar o próximo. Já os bilhetes online são específicos para o trem daquele horário que você comprou. Se atrasar, perde a passagem.

Valide seu ticket antes de embarcar!

Peloamordejesus, com qualquer bilhete de papel comprado na estação, valide sua passagem antes de embarcar. Há maquinetas brancas com detalhes em vermelho e verde por toda parte na maioria das estações.

Não importa se você acabou de comprar; o fiscal que passa dentro do trem vai querer ver seu bilhete validado, e vai lhe aplicar uma bela multa se você não o tiver feito.

Já assisti a muitas pessoas, brasileiros inclusos, tomarem a multa de 30 ou 50 euros por pessoa por terem a passagem a bordo mas não a terem validado na máquina antes de entrar no trem. Além de perder dinheiro à toa, fica aquele climão no seu passeio. Evite.

(Em tese, são 30 euros de multa se você for fazer o mea culpa, e 50 se o condutor o pegar. Ainda que você possa quiçá ter a sorte de não solicitarem sua passagem, eles normalmente passam checando os bilhetes de todo mundo. Não vacile.)

Validation machines italia
Não te esquecerás de validar o teu ticket na máquina antes de embarcar no trem.

Quando for a alguma estação pequena, compre bilhetes de ida e volta

Adivinhe: algumas estações italianas são tão pequenas que sequer possuem máquina de venda de bilhetes, nem guichês. Ainda assim, o fiscal passará checando as passagens de todo mundo. 

E aí? Se souber que vai a algum lugar pequeno, portanto de estação provavelmente também pequena, e sobretudo nas regiões mais pobres da Itália (ex. a estação de Noto, na Sicília), adquira sua passagem de ida e desde logo a passagem também de volta. Pode poupá-lo dores de cabeça a bordo depois.


Informações extras

As paisagens

Há paisagens lindas pelo interior da Itália, como na famosa Toscana (região onde ficam Florença e Siena, dentre outras). Mas não ache que por isso *todas* as viagens de trem pela Itália serão pitorescas.

Pisa a Gênova, por exemplo, tem paisagens belas, passando por Carrara. Porém, muitas rotas no rico norte do país (como entre Milão e Veneza) são por vistas completamente industriais e sem sal. Module as suas expectativas para não se decepcionar.

As paisagens pitorescas se veem melhor nas rotas de interior.

As estações

A lida estação central de Milão (Milano Centrale) é das que merece melhor menção, como Genova Piazza Principe e Torino Porta Nuova. Já outras, como Roma Termini ou Napoli Centrale, eu as acho bastante ordinárias em termos arquitetônicos.

A estação central de Milão é uma babilônia; aloque tempo, e cuidado para não se perder ali. Há escadas comuns muito mais objetivas que as esteiras rolantes, que fazem um ziguezague desnecessário na estação e tomam tempo para se chegar ao andar mais alto, de onde partem os trens.

Parma 1 06
Os belos e amplos vãos da imensa estação central de Milão, Milano Centrale. Talvez a mais bela da Itália.

Cuidado quando eles demoram de anunciar qual será a sua plataforma e todo mundo tem que sair correndo. Às vezes, há um pouco de adrenalina.

Atenção se a sua plataforma incluir uma letra, tipo 2A. Os trens regionais, sobretudo, frequentemente usam essas chamadas plataformas externas. Nem sempre Plataforma 2A é conjugada com a 2. Às vezes, é uma plataforma outra, aonde se chega por outro caminho.

Se não estiver óbvio, pergunte a alguém. Se souber zero de italiano ou inglês, mostre o bilhete a um funcionário, que apontará com o dedo enquanto fala um italiano rápido ou diz algo naquele inglês carregado de sotaque melódico “tu the left’a“, e você sentirá o sabor audível da sua viagem.


Qualquer pergunta ou dúvida que alguém ainda tenha, ou se quiser algum toque, é só escrever abaixo nos comentários.

Mairon Giovani
Cidadão do mundo e viajante independente. Gosta de cultura, risadas, e comida bem feita. Não acha que viajar sozinho seja tão assustador quanto costumam imaginar, e se joga com frequência em novos ambientes. Crê que um país deixa de ser um mero lugar no mapa a partir do momento em que você o conhece e vive experiências com as pessoas de lá.

4 Replies to “Viajar de trem na Itália: Opções, dicas, alertas, e como comprar online

  1. Muito bom seu conteúdo. Parabéns.
    Voce saberia me dizer como estão as viagens de trem pela Itália em relação ao covid e as áreas vermelhas e verdes? Estou tentando comprar passagem aerea de milao para pisa, mas há muitas escalas e a duração do trajeto é absurda. E de trem o percurso levaria apenas algumas horas.

    Se puder me ajudar.
    Abraço..obrigado.

    1. Obrigado, Michael, e me perdoe a demora em responder-lhe. Com toda a certeza esse trecho entre Milão e Pisa é melhor feito de trem. Eu, inclusive, já o fiz, passando por Carrara no caminho. Se for via Gênova, você vê paisagens bem belas pela costa.

      Via de regra, os voos dentro da Itália só servem para ir às ilhas (Sardenha, Sicília) ou viagens muito longas (ex. Milão – Bari) e em que velocidade seja fundamental.

      A Itália ainda está atualizando a todo momento quais zonas estáo vermelhas, e ainda com muitas restrições, sobretudos para sair de uma região para outra. Minha recomendação é aguardar um pouco para ver como vai ficar. Acredito que por volta de maio, com o início da temporada turística, as coisas já devem ficar mais claras.

      Estamos aí.
      Um abraço!

  2. Muito bom apanhado sobre os trens italianos que parecem mesmo muito bons, elegantes, rápidos e confortáveis, principalmente os que tem vagão restaurante, cafezinhos, wi fi etc e tal. Mas soube por amigos que de vez em quando rola um “mangue”com a mudança súbita de trens de uma plataforma para outra, ocorrendo corre corre para não perder o trem. hahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *