You are here
Home > Oriente Distante > Ásia Central

A Ásia Central é uma das mais fascinantes regiões do mundo, e também uma das menos conhecidas dos ocidentais. A China antiga já mitologizava seu oeste, uma terra bravia de nômades e xamanistas. Já nós ocidentais não fazíamos por menos, com os relatos medievais de Marco Polo e outros sobre o domínio mongol nessas terras.

Por muito tempo a maioria da Ásia Central caiu em dormência sob o domínio czarista russo no século XIX e soviético durante o século XX, mas a região agora ressurge com sua identidade própria.

Os “stão” que compõem a Ásia Central — Cazaquistão, Quirguistão, Tajiquistão, Turcomenistão, Uzbequistão e, sim, também o mal-fadado Afeganistão — têm na verdade uma rica diversidade de culturas e imensos legados históricos. Estão longe de serem todos a mesma coisa, tampouco o “fim de mundo” como costumamos imaginá-los.

Nem todas as definições de Ásia Central incluem a Mongólia, mas cultural e etnicamente você verá que é ali que os mongóis se inserem mais que em qualquer outro lugar. Ali estão também os uigures da China e outros povos da Rússia.

É uma terra fascinante, a encruzilhada de culturas que sempre ligou a Ásia e a Europa, e que agora está voltando à vida. Clicando nas fotos abaixo você chega a cada um dos países centro-asiáticos que já visitei. 


Cazaquistão

Grande país das estepes onde culturas túrquicas, mongol e russa se encontram. Da tradicional Almaty (Alma-Ata, “pai das maçãs”) à capital Nursultan, a Brasília da Ásia Central.

 

Mongólia

Um tradicionalíssimo bastião na Ásia Central, terra de nômades, belíssimas paisagens, campos, estepes, e uma culinária muito particular. Da capital Ulaanbaatar, com seus tesouros budistas, às vistas escarpadas e à vida rústica ainda dos tempos de Gêngis Khan no interior.

 

Quirguistão

O país dos quirguizes, povo túrquico de origem nômade, misturado aos mongóis e mais tarde dominado pelos russos. Rica tradição cultural numa paisagem montanhosa nesta nação apelidada de “a Suíça da Ásia”.

 

Uzbequistão

O fascinante legado da Rota da Seda. As mágicas cidades de Samarcanda, Bukhara e Khiva, além da capital Tashkent. Construções belíssimas que lembram coisas de Aladim.

Top